Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
PROFESSOR LUIZ


atenção nem sempre é possível colocar a matéria em ordem cronológica, portanto o aluno deverá 

rolar a página até o final, escolher o que deseja e gravar em uma pasta no seu computador,

essas matéria serão retiradas em breve.

os 3 primeiros alunos de cada sala que me responder por escrito o que é o 

APARTHEID,  receberá 0,5 pontos na prova, não na média, mas já é um bom negócio

ganhar 0,5 ponto por tão pouca coisa, mas só vou receber os 3 primeiros de cada sala na aula de segunda feira

abraço fraternal a todos


 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 00h21
[] [envie esta mensagem] []




DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA SUBSAARIANA exercício pg187

1= O que Jono Kenyatta líder da |independência do Quênia defendia

2= O que era o Pan Africanismo

3=O que o movimento negritude valorizava

4= Segundo o movimento negritude o que ocorria com os negros.

5= Além de lutar contra o opressor europeu, contra o que eles lutavam

6= Qual foi a forma de se manifestar através da consciência

7= Quais foram as últimas colônias a se emancipar

8= Qual foi a atitude do ditador Salazar nas colônias

9= O que ocorreu em Portugal em 1974

10= O que colaborou para o fim colonial português

11= Quais eram os 3 grupos rivais em Angola

12= O que ocorreu em 1975 em Angola

13= O que ocorreu em Angola em 2002

14= Quem recebeu apoio do EUA e quem recebeu apoio da URSS

15= O que ocorreu em Moçambique em 1962

16= O que ocorreu em Moçambique em 1975 e qual regime foi implantado

17= Com quem a FRELIMO entrou em conflito e eram apoiados por quem

18= O que ocorreu em Moçambique em 1992

19= O que ocorria na África do Sul

 06/03/2015



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 00h16
[] [envie esta mensagem] []



EXERCÍCIO = IMPERIALISMO RESPOSTAS

 

1=  No final do séc. XIX o que contribuiu para o processo de aproximação dos povos?

R= Em grande parte foi impulsionado pelo desenvolvimento da indústria e tecnologia.

2= Quais avanços permitiram a aproximação dos povos?

R= Foi o avanço das comunicações e transporte como telegrafo, telefone e ferrovias.

3= Como que os artistas passaram a descrever o mundo da época?

R= Os artistas em suas obras passaram a buscar inspiração na tecnologia e na multidão das cidades.

4= Sob qual domínio após a segunda metade do séc. XIX ocorreu a visão de mundo?

R= Ocorreu sob a dominação da cultura européia

5= O que ocorreu nos países da África e Ásia com a dominação européia?

R= A exploração, o preconceito e a violência, marcaram a expansão do capitalismo

6= O que ocorreu para definir os grandes rumos do séc. XX?

R= As rivalidades entre as potências européias, que se lançaram na conquista de domínios coloniais.

 

 

7= Quais foram os avanços promovidos pela 1ª revolução industrial?

R= foram marcados pelo uso do carvão, ferro, indústrias têxteis e a máquina a vapor.

8= Quais os avanços que delinearam a 2ª revolução industrial?

R= Foi o avanço das comunicações e transporte

9= Quais foram as mudanças promovida pela revolução industrial na sociedade?

R= Aumentou a distância entre países pobres e ricos, pessoas ricas e pobres, aumentando a desigualdade.

10= Quais foram os produtos, costumes e valores fruto do intercâmbio que atuam na sua vida?

R= uso do celular, musica, cinema, vestuário, e o desapego com pessoas mais velhas.....

11= Como ocorreram a divisão de países pobres e ricos?

R= através da exploração dos países ricos em busca de matéria prima nos países não industrializados e, a venda de seus produtos industrializados para os países pobres.

12= O que é o Imperialismo ou neocolonialismo e, em que eles interferem?

R= É a dominação dos países ricos sobre os países pobres, interferem na política, economia, cultura, etc.

 

 

13= Qual é a diferença entre modo de produção capitalista e socialista?

R= No modo de produção socialista ela é estatal, no capitalista é particular, privada.

14= Qual a diferença entre revolução e golpe militar?

R= Na revolução o povo participa e ocorre a mudança de regime político. No golpe militar o povo não participa e não ocorre a mudança de regime.       

15= De o nome de 4 países europeus que eram considerados potências imperialistas.

R= Espanha, Itália, Portugal, Inglaterra, França, Alemanha, Bélgica,

16=  Qual foi o continente retalhado pelos europeus a partir da conferência de Berlin em 1885 e por que?

R= Foi a África, porque era um continente de povos desagregados e que ofereciam pouca resistência militar, o continente era muito rico em matéria prima

17=  Em que ano ocorreu e quais foram os dois últimos países europeus a se unificar.

R= Foi no ano de 1870 na Itália e 1871 na Alemanha

18= Quais foram as conseqüências na disputa pelo imperialismo.

R= a deflagração da 1ª guerra mundial 1914/18 e da  2ª de 1939 a 1945.

 

 

Prof. Luiz = Historia = 16/02/2015



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 23h57
[] [envie esta mensagem] []



DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA EXERCÍCIO  respostas

1= O que significa a sigla ONU e quando foi criada?

R= A sigla ONU significa Organização das Nações Unidas e foi criada em 1945

2=Qual a principal função da ONU?

R= Era a de intermediar a relação entre os países e permitir que se encontrassem saídas diplomáticas para seus conflitos

3=Quais eram os dois grandes blocos que se rivalizavam?

R= Os dois grandes blocos eram os capitalistas representado pelo EUA e os socialistas representados pela URSS

4=Como EUA e URSS queriam dominar os países que estavam nascendo?

R= Eles apoiavam os movimentos de libertação e a intenção não era se impor invadindo os territórios com armas, mas sim influenciar na cultura, política e economia nos países que estavam nascendo.

5= Quais eram os dois grande grupos de países africanos?

R= Eram o bloco dos países muçulmanos do norte africano e os países Subsaarianos.

6= Qual foi o principal motivo que promoveu a descolonização dos países do norte da África

R= Foi o enfraquecimento dos países europeus com a segunda guerra e o fortalecimento dos países africanos e também o surgimento do sentimento nacionalista (patriotismo)

7= Quem organizava a luta pela independência?

R= Na maioria dos países africanos eram os partidos de esquerda, os partidos de oposição

8=O líder pela independência do Egito Gamal Abdel Nasser fez o que pela independência?

R= Ele promoveu uma integração cultural chamada de Pan-Arabismo

9= O que era o Pan –Arabismo promovido por Nasser?

R= Era um movimento com uma política fortemente nacionalista, se opunha ao colonialismo e estimulava o vínculo entre os países árabes muçulmanos

10= O que pretendia o movimento Pan – Arabismo?

R= Era o de apoiar os movimentos de libertação no norte da África, e aproximar as ex-colônias dos países muçulmanos no oriente médio.

11= A Argélia no Norte da áfrica era colônia de qual país desde quando?

R= Era colônia francesa desde 1830

 

 

12=Faça um resumo do que ocorreu na Argélia em 1954?

R= A crise econômica do pós guerra, a influência do Pan-Arabismo, e a derrota da França na guerra pela independência na Indochina desencadearam uma série de rebeliões na Argélia.

13= O que significa a sigla FLN?

R= Significa Frente de Libertação Nacional e lutava contra os opressores europeus

14=O que fez a Frente de libertação Nacional na Argélia?

R= A FLN dirigiu  a luta pela independência e tornou-se a principal força política do novo governo

15= O que ocorreu em Paris em 1961?

R= Uma passeata pacífica realizada pelos argelinos que moravam na França foi duramente reprimida pela polícia francesa onde morreram mais de 200 argelinos.

16= Qual foi o fato importante ocorrido no norte da África em 1962?

R= Foi a Independência da Argélia após intensa mobilização e pressão política dos argelinos

17= O que é plebiscito?

R= É quando as autoridades perguntam para o povo através de uma eleição o que eles querem

18= Quem era o presidente da França em 1962?

R= era o General Charles De Gaulle que havia lutado na primeira e segunda guerra.

 

Prof. Luiz

História

05/03/2015

 

 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 23h54
[] [envie esta mensagem] []



POVO AFRICANO BERÇO DA CIVILIZAÇÃO HUMANA

 

Segundo estudos realizados através da paleontologia e outras áreas da historiografia, incluindo as pesquisas realizadas por pré-historiadores, concluímos que o homem é fruto da evolução contínua de ancestrais primatas. Embora algumas evidências tenham sido encontradas em outras regiões, o continente africano particularmente nas regiões onde hoje conhecemos por Etiópia e arredores tais como Quênia, Sudão, se sobressai devido a quantidade de evidências encontradas. Crânios com volume aumentando acompanhando o processo evolutivo sugere a hominização dos primatas nessa região.

o utensílio não nos permite delimitar o inicio da hominização, o material obtido é insuficiente para delimitar com precisão e, nos ater que entre os grupos a evolução física, intelectual e na arte da indústria humana, não era homogenia.

 

A África através de estudos e pesquisas realizadas colocam o continente no topo em relação ao processo de hominização da raça humana

 

Em solo africano vamos encontrar o Australopiteco considerado o primeiro hominídeo, bípede, com um desenvolvimento intelectual considerável, e finalmente o Homo sapiens com características negroides.

No que diz respeito a parte física do negro como cor da pele, cabelos encarapinhados, lábios grossos, pernas finas, nariz achatado e outras características são resultado das condições tropicais

 

Quanto ao desenvolvimento tecnológico permitiu ao homem se impor aos demais seres e, por ter sido artesão tornou-se inteligente, o fato de permanecer ereto e ter as mãos livres foi um fator determinante que auxiliou no seu caminho rumo a evolução

. O progresso constante em aperfeiçoamento e variedade de materiais na busca da eficácia liberta o homem do estereótipo de instinto.

Quanto a dinâmica social a troca de mercadorias e seu relacionamento com seus semelhantes deram impulso a atividade cerebral ligadas ao trabalho e a fala

por outro viés a dispersão intensificou a necessidade de aprimoramento das técnicas para garantir a sobrevivência da tribo.

sendo a escrita em geral pouco utilizada tudo era transmitido de forma oral pelos griots.

 

Finalmente, devemos considerar as estruturas socioeconômicas como sistema familiar de produção, que caracterizou as sociedades africanas, até sofrerem a influência do islamismo e cristianismo colonial. A mulher não era inferiorizada na cultura africana, ela desempenhava um papel importante na sociedade tanto na herança de bens como na sucessão real, como exemplo vamos encontrar a rainha Zinga de Angola no século XVII

O processo evolutivo desde os primeiros hominídeos até o homem moderno descrito anteriormente é o suficiente para jogar por terra todos os estereótipos negativos e teorias preconceituosas impingidas pelos europeus, diziam que “somente as raças superiores (brancas) eram capazes de construir civilizações”, com o objetivo de justificar suas invasões e exploração do homem negro africano e seus bens.

 

O declínio e importância do continente africano são por ter sido explorado sem a compensação adequada. Na antiguidade o vale do Nilo torna-se o celeiro de Roma, são retirados animais selvagens, escravos e gladiadores. A partir do século XV começa o tráfico de escravos, e por fim no século XIX a invasão extrativista, dilapidação e invasão territorial impetrada pelos colonizadores europeus promoveram a miséria do povo em detrimento do enriquecimento da metrópole

 

Prof. Luiz

 

3/2/2015



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 22h34
[] [envie esta mensagem] []



exercícios de perguntas e respostas

grave e arquive em uma pasta no seu computador para depois poder estudar.

POVO AFRICANO BERÇO DA CIVILIZAÇÃO RESPOSTAS

1= O que a paleontologia estuda?  

R= ESTUDA A PARTE FÍSICA DO CORPO HUMANO

2= Segundo a teoria de Charles Darwin o homem é fruto da evolução de qual animal?

R= SEGUNDO DARWIN O HOMEM DESCENDE DO MACACO

3= Em qual país do continente africano são encontradas mais evidências da evolução dos primatas?

R= NA ETIÓPIA E ARREDORES

4= O que era o Australopiteco? E o que é o Homo Sapiens?

R= AUTRALOPITECO FOI O PRIMEIRO PRIMATA BÍPEDE, HOMO SAPIENS É O PRIMEIRO HOMEM QUE PENSA

5= Quais são as principais características físicas  do homem negro?

R=PELE ESCURA, NARIZ ACHATADO, CABELO ENCARAPICHADO, PERNAS FINAS

6= Qual foi o fator que contribuiu para a evolução do homem?

R= FOI O FATO DE PERMANECER ERETO E TER AS MÃOS LIVRES PARA O TRABALHO

7=Quais foram as atitudes humanas que contribuíram para dar impulso na sua evolução?

R= FOI A TROCA DE MERCADORIAS E A CONVIVÊNCIA COM SEUS SEMELHANTES

8= Qual foi o resultado obtido com a diáspora e êxodo?

R= CONTRIBUIU PARA O APRIMORAMENTO DAS TÉCNICAS PARA GARANTIR A SOBREVIVÊNCIA

9= Como era o meio de produção do homem africano?

 R= ERA FAMILIAR

10= Quais religiões interferiram na sociedade africana e em que época?

FORAM O ISLAMISMO E CRISTIANISMO

11= Qual o papel da mulher na cultura africana?

R= TINHA PAPEL IMPORTANTE PARTILHAVA DA HERANÇA E DA SUCEÇÃO REAL.

12= O que os europeus pensavam dos africanos?

R= QUE ERAM PRIMITIVOS, NÃO CONSEGUIAM DESENVOLVER UMA CIVILIZAÇÃO, NÃO TINHAM LEIS, NEM ESTADO, HISTÓRIA E ALMA

13= Os europeus diziam ser descendentes de qual povo africano?

DOS EGÍPCIOS

14= Qual foi o motivo do declínio dos africanos?

R= DE SEREM EXPLORADOS SEM RECEBEREM A DEVIDA COMPENSAÇÃO

15= Quais eram os principais motivos que os europeus diziam ser descendentes dos egípcios?

R= Por branquear a raça e por os egípcios serem capazes de construir uma civilização

16= Quais são os países do norte da África?

R= MARROCOS, ARGÉLIA, TUNÍSIA, LÍBIA E EGITO

 

Prof. Luiz = história

 

06/02/2015



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 22h31
[] [envie esta mensagem] []



FEUDALISMO

O feudalismo foi um modo de organização social e político baseado nas relações servo-contratuais (servis). Tem suas origens na decadência do Império Romano. Predominou  na Europa durante a idade média. Sec. V ao XV. o feudalismo é geralmente precedido pelo nomadismo e sucedido pelo capitalismo em certas regiões da Europa. Os senhores feudais conseguiam as terras porque o rei lhes dava como recompensa pela bravura em campos de batalha. Os camponeses cuidavam da agropecuária dos feudos e, em troca, recebiam o direito a uma gleba de terra para morar, além da proteção contra ataques bárbaros. Quando os servos iam para o manso senhorial, atravessando a ponte, tinham que pagar um pedágio, exceto quando para lá se dirigiam a fim de cuidar das terras do Senhor Feudal.

Origem do Feudalismo = O feudalismo tem suas origens no século IV a partir das invasões germânicas (bárbaras) ao Império Romano do Ocidente (Europa)]. Com a decadência e a destruição do Império Romano do Ocidente, por volta do século V d.C. (de 401 a 500), em decorrência das inúmeras invasões dos povos bárbaros e das péssimas políticas econômicas dos imperadores romanos, várias regiões da Europa passaram a apresentar baixa densidade populacional e ínfimo desenvolvimento urbano. Com o enfraquecimento do império romano eles deixaram de promover guerras, as quais rendiam escravos e soldados, e formou-se um ciclo vicioso. os nobres romanos começaram a se afastar das cidades levando consigo camponeses (com medo de serem saqueados ou escravizados). Já na Idade Média, com vários povos dominando a europa medieval.

Características = As características gerais do feudalismo são: poder descentralizado, economia baseada na agricultura de subsistência, trabalho servil e economia amonetária e sem comércio, onde predomina a troca (escambo).Tudo isso só será modificado com os primeiros indícios das Revoluções Burguesas.

Sociedade = A sociedade feudal era composta por três estamentos (mesmo que grupos sociais com status praticamente fixo, não se pode dizer que a mudança de classe social não existia, pois alguns camponeses tornavam-se padres e passavam a integrar o baixo clero, por exemplo, mas essa mudança era rara e um servo dificilmente ascenderia à outra posição): os Nobres (guerreiros, bellatores), o Clero (religiosos, oratores), e os servos (mão de obra, laboratores). O que determinava o status social era o nascimento. Havia também a relação de suserania entre os Nobres, onde um nobre (suserano) doa um feudo para um outro nobre (vassalo). Apresentava pouca ascensão social e quase não existia mobilidade social (a Igreja foi uma forma de promoção de mobilidade).

O clero tinha como função oficial rezar. Na prática, exercia grande poder político sobre uma sociedade bastante religiosa, onde o conceito de separação entre a religião e a política era desconhecido. Mantinham a ordem da sociedade evitando, por meio de persuasão e criação de justificativas religiosas, revoltas e contratações camponesas.

A nobreza (também chamados de senhores feudais) tinha como principal função a de guerrear, além de exercer considerável poder político sobre as demais classes. O Rei lhes cedia terras e estes lhe juravam ajuda militar (relações de suserania e vassalagem).

 

Os servos da gleba constituíam a maior parte da população camponesa: estavam presos à terra, sofriam intensa exploração, eram obrigados a prestarem serviços à nobreza e a pagar-lhes diversos tributos em troca da permissão de uso da terra e de proteção militar. Embora geralmente se considere que a vida dos camponeses fosse miserável, a palavra "escravo" seria imprópria. Para receberem direito à moradia nas terras de seus senhores, juravam-lhe fidelidade e trabalho. Por sua vez, os nobres, para obterem a posse do feudo faziam o mesmo juramento aos reis.



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 09h10
[] [envie esta mensagem] []



continuação de feudalismo

Os Vassalos oferecem ao senhor ou suserano, fidelidade e trabalho em troca de proteção e um lugar no sistema de produção. As redes de vassalagem estendiam-se por várias regiões, sendo o rei o suserano mais poderoso.

Economia e prosperidade

A produção feudal própria do Ocidente europeu tinha por base a economia agrária, de escassa circulação monetária, auto-suficiente. A propriedade feudal pertencia a uma camada privilegiada, composta pelos senhores feudais, altos dignitários da Igreja, (o clero) e longínquos descendentes dos chefes tribais germânicos. As estimativas de renda per capita da Europa feudal a colocam em um nível muito próximo ao mínimo de subsistência.  A principal unidade econômica de produção era o feudo, que se dividia em três partes distintas: a propriedade individual do senhor, chamada manso senhorial ou domínio, em cujo interior se erigia um castelo fortificado; o manso servil, que correspondia à porção de terras arrendadas aos camponeses e era dividido em lotes denominados tenências; e ainda o manso comunal, constituído por terras coletivas - pastos e bosques -, usadas tanto pelo senhor quanto pelos servos.. Devido ao caráter expropriador do sistema feudal, o servo não se sentia estimulado a aumentar a produção com inovações tecnológicas, uma vez que tudo que produzia de excedente era tomado pelo senhor. Por isso, o desenvolvimento técnico foi pequeno, limitando aumentos de produtividade. A principal técnica adaptada foi a de rotação trienal de culturas, que evitava o esgotamento do solo, mantendo a fertilidade da terra. Para o economista anarco-capitalista Hans Hermann Hoppe, como os feudos são supostamente propriedade do Estado (neste caso, representado pelos senhores feudais), o feudalismo é, consequentemente, considerado por ele como sendo uma forma de manifestação socialista - o socialismo aristocrático (servismo).

Tributos e impostos da época

As principais obrigações dos servos consistiam em:

  • Corveia: trabalho compulsório nas terras do senhor (manso senhorial) em alguns dias da semana;
  • Talha: parte da produção do servo deveria ser entregue ao nobre, geralmente um terço da produção;
  • Banalidade: tributo cobrado pelo uso de instrumentos ou bens do feudo, como o moinho, o forno, o celeiro, as pontes;
  • Capitação: imposto pago por cada membro da família (por cabeça);
  • Tostão de Pedro ou dízimo: 10% da produção do servo era pago à Igreja, utilizado para a manutenção da capela local;
  • Censo: tributo que os vilões (pessoas livres, vila) deviam pagar, em dinheiro, para a nobreza;
  • Taxa de Justiça: os servos e os vilões deviam pagar para serem julgados no tribunal do nobre;
  • Formariage: quando o nobre resolvia se casar, todo servo era obrigado a pagar uma taxa para ajudar no casamento, regra também válida para quando um parente do nobre iria casar. Todo casamento que ocorresse entre servos deveria ser aceito pelo suserano. No sul da França, especificamente, o Senhor poderia ou não determinar que a noite de núpcias de uma serva seria para o usufruto dele próprio e não do marido oficial. Tal fato era incomum no restante da Europa, pois a igreja o combatia com veemência;
  • Mão Morta: era o pagamento de uma taxa para permanecer no feudo da família servil, em caso do falecimento do pai ou da família;
  • Albergagem: obrigação do servo em hospedar o senhor feudal caso fosse necessário.

Muitas cidades europeias da Idade Média tornaram-se livres das relações servis e do predomínio dos nobres. Essas cidades chamavam-se burgos. Por motivos políticos, os "burgueses" (habitantes dos burgos) recebiam frequentemente o apoio dos reis que, muitas vezes, estavam em conflito com os nobres[7]. Na língua alemã, o ditado Stadtluft macht frei ("O ar da cidade liberta") ilustra este fenômeno. Em Bruges, por exemplo, conta-se que certa vez um servo escapou da comitiva do conde de Flandres e fugiu por entre a multidão. Ao tentar reagir, ordenando que perseguissem o fugitivo, o conde foi vaiado pelos "burgueses" e obrigado a sair da cidade. Desta maneira, o servo em questão tornou-se livre.

Ascensão e queda do sistema

O feudalismo europeu apresenta, portanto, fases bem diversas entre o século IX, quando os pequenos agricultores são impelidos a se proteger dos inimigos junto aos castelos, e o século XIII, quando o mundo feudal conhece seu apogeu, para declinar a seguir.

No século X, o sistema ainda está em formação e os laços feudais unem apenas os proprietários rurais e os antigos altos funcionários ou Ministeriais - administradores da propriedade feudal em nome de um senhor -, dos quais destacamos os Bailios (tomavam conta de uma propriedade menor) e os Senescais (supervisionavam os vários domínios de um mesmo senhor).

Entre os camponeses existiam homens livres - os Vilões - com propriedades menores independentes. A monarquia feudal não apresenta a rigidez que caracterizaria o regime monárquico posteriormente e a ética feudal não está plenamente estabelecida.

Entretanto, a partir do ano 1000 até cerca de 1150, o Feudalismo entra em transformação: a exploração camponesa torna-se intensa, concentrada em certas regiões superpovoadas, deixando áreas extensas de espaços vazios; surgem novas técnicas de cultivo, novas formas de utilização dos animais e das carroças, o que permitiu a produção agrícola garantir um aumento significativo, surgindo, assim, a necessidade de comercialização dos produtos excedentes. Esse renascimento do comércio e o consequente aumento da circulação monetária, reabilita a importância social das cidades e suas comunas. Com as Cruzadas, esboça-se uma abertura para o mundo, quebrando-se o isolamento do feudo.

O restabelecimento do comércio com o Oriente Próximo e o desenvolvimento das grandes cidades, começam a minar as bases da organização feudal, na medida em que aumenta a demanda de produtos agrícolas para o abastecimento da população urbana. Isso eleva o preço dessas mercadorias, permitindo aos camponeses maiores fundos para a compra de sua liberdade. Não que os servos fossem escravos; com o excedente produzido, poderiam comprar de seus senhores lotes de terras e, assim, deixar de cumprir suas obrigações junto ao senhor feudal. É claro que esta situação poderia gerar problemas já que, bem ou mal, o servo vivia protegido dentro do feudo e, para evitá-los, tornavam-se comerciantes ou iam morar em burgos, dominados por outros tipos de senhores, desta vez, comerciais.. Ao mesmo tempo, a expansão do comércio cria novas oportunidades de trabalho, atraindo os camponeses para as cidades.

Tais acontecimentos, aliados à formação dos exércitos profissionais — o Rei, agora, não dependeria mais dos serviços militares prestados por seus vassalos —, à insurreição camponesa, à peste, à falta de alimentos decorrente do aumento populacional e baixa produtividade agrária, contribuíram para o declínio do feudalismo europeu. Na França, nos Países Baixos e na Itália, seu desaparecimento começa a se manifestar no final do século XIII. Na Alemanha e na Inglaterra, entretanto, ele ainda permanece mais tempo, extinguindo-se totalmente na Europa ocidental por volta de 1500. Em partes da Europa central e oriental, porém, alguns remanescentes resistiram até meados do século XX, como, por exemplo, a Rússia, que só viria a se libertar dos resquícios feudais com a Revolução de 1917 promovida por Lenin, a qual culminou com a implantação do Socialismo.

Modos de Produção= feudalismo= relação social entre servo e senhor feudal

Capitalismo= modo de produção particular, privado, com trabalho assalariado

Socialismo= A produção é toda do Estado (governo) e o o governo da ao trabalhador tudo que ele precisa.

 

Revolução = tem a participação popular e ocorre a mudança do modo de governar

Golpe Militar= não tem a participação da população e não ha mudanças no modo de governar.

 

Prof. Luiz= 21/02/13

 

  



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 09h09
[] [envie esta mensagem] []



REVOLUÇÃO INDUSTRIAL     PG. 275 GILBERTO COTRIN (ÚNICO)

O segredo da industria é fabricar melhor, mais rápido e mais barato que o artesanal.

Teve início na Inglaterra meados do sec. XVIII, antes a produção era doméstica de suprir necessidades. A maioria vivia no campo, produziam alimentos, vestuário ferramentas e objetos em geral. Ficava a critério do artesão o controle da produção em todas as suas fases, ele precisava conhecer todo o processo. O artesão era dono da oficina, matéria prima e ferramentas.

Com a introdução da manufatura, foi implantado um processo de divisão do trabalho (Fordismo), cada funcionário fazia uma parte do trabalho. Seguida do Toyotismo. Da manufatura passou-se para a mecanização da produção, conhecido como revolução indústria, iniciado na Inglaterra.

Os senhores feudais ricos e burgueses passaram a investir na indústria, principalmente após a revolução gloriosa 1688/9, quando foi deposto um monarca Católico e substituído por um Protestante acabou com a monarquia absolutista instituindo-se o parlamento. A indústria foi alavancada com a criação do Banco da Inglaterra em 1694, que passou a auxiliar com financiamentos a implantação das indústrias. Diferença entre as igrejas católica e protestante quanto a visão sobre o trabalho e usura.

No campo a mecanização reduziu a mão de obra e elevou a produtividade, os camponeses migraram para as cidades onde passaram a trabalhar nas indústrias. Com o avanço da medicina e o êxodo rural houve o crescimento populacional, gerando uma massa de trabalhadores, pagos com salários miseráveis. (Inútil necessário). A marinha mercante eficiente favoreceu a venda de seus produtos, aliado ao favorecimento por jazidas de carvão em solo inglês. Contando com fornecedores de matéria prima (lã e algodão) a indústria têxtil prosperou lastreada em leis protecionistas, com a proibição da venda de lã e algodão in natura, só industrializado.  A mão de obra infantil e feminina foi largamente explorada com salários mais baixos.

O trabalhador industrial não era dono dos meios de produção apenas vendia sua força de trabalho, foi criada a mais valia (diferença do que é cobrado pela manufatura versos pelo que é pago). Desenvolveu-se então um antagonismo entre o empresário e o trabalhador. Para aumentar seus lucros os salários eram tão reduzidos que para sobreviver esposa e filhos precisavam trabalhar em média 16h/dia vivia 55 anos. Industria e comercio passaram a ser principais fontes de acumulo de riqueza, consolidando o capitalismo iniciado com a revolução francesa.

Os operários acreditavam que as máquinas eram responsáveis pela sua condição de miséria, por isso em revoltas, invadiam as fábricas e destruíam as máquinas, posteriormente os trabalhadores perceberam que não era vítima das máquinas, mas do sistema de injustiça criado pelo capitalismo industrial, foi quando passaram a se organizar. (dia do trabalho 1/5/1886 Chicago=8horas/8março 1857 N. York=10horas)

Com a industrialização houve a necessidade da urbanização, como a população cresceu de forma vertiginosa, foi necessário investir em saneamento (1858 Tamisa rio do fedor), transporte e comunicação. Navio a vapor, locomotivas, telegrafo e telefone.

Novas ideologias= Com a implantação da linha de montagem o trabalho é dividido, também se divide o saber do trabalhador, o que conduziu a sua especialização, o operário perdeu a noção de conjunto e união, não se reconhecendo como criador do trabalho produzido e alienação no processo produtivo global.

No início (1760/1860) limitou-se a Inglaterra, na 2ª etapa ( 1860/1900) espalhou-se pela Europa EUA Rússia e Japão. Utilização do aço, energia elétrica, petróleo, química, eletrônica, 3ª etapa + tecnologia – emprego. O liberalismo não funciona, é bom só para a elite.  Em contrapartida ao capitalismo Karl Marx e  Friedrich Engels viveram no final do sec. XIX pregam o socialismo= modo de produção estatal. Em 1891 o Papa Leão XIII através da encíclica (carta) prega o Socialismo Cristão. Pg. 282 (Gilberto Cotrin livro de história)

 

Prof. Luiz  =   22/05/2013



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 09h06
[] [envie esta mensagem] []



Caros alunos esse é o primeiro texto que posto para nossos estudos, mas é importante voce copiar e salvar em uma pasta no seu computador

Meu provedor me deu um espaço pequeno, dessa forma quando eu coloco um texto eles apagam o ultimo, por isso é importante voce copiar, e salvar em uma pasta no seu computador se possível tire uma cópia para algum colega seu que não tem computador ou impressora.

atenção: os 3 primeiros alunos de cada sala que me trouxerem por escrito qualquer definição de o que é história, ganhará 0,5 (meio)  ponto na média do bimestre até o dia 6 de fevereiro 2015

as respostas estão no texto abaixo. quem for dedicado e esperto aproveitará essa oportunidade.

bons estudos.




Escrito por PROFESSOR LUIZ às 01h10
[] [envie esta mensagem] []



 

DEFINIÇÃO DE HISTÓRIA

 

É a investigação dos fenômenos humanos, é a possibilidade de compreender o ser humano e suas reações.

É a geração dos fatos gerados pelas atitudes humanas...O tempo não é estático, está em constante movimento

O ofício do historiador é uma vocação, é analisar criticamente os documentos contraditórios, e sempre desconfiar da verdade absoluta, a interpretação da história não é algo acabado.

Marc Bloch não concebe a história como ciência estática, o presente está carregado de ecos do passado, a história investiga o homem no seu tempo consciente de que ele afeta o resente, como método de pesquisa tende sempre estar aberto a problematização. 

O tempo é sempre contínuo, é uma perpétua mudança, o tempo é de uma importância fundamental para a ciência da história do homem. O objeto da história são os homens no tempo no espaço e sociedade.

História é o estudo dos feitos do homem em sua passagem pela terra.

A história é a ciência do homem no tempo, o historiador não apenas pensa humano, qualquer ciência não pode de abstrair do tempo.

A história Èvenémentielle  é apenas uma descrição dos fatos no tempo, de forma cronológica, não se preocupava com o contexto no aspecto cultural e social dos fatos. Era um pensamento de linha positivista.

Escola dos Annales fundada por Marc Bloch e Lucien Vebvre em 1929 não da muita importância aos fatos meramente políticos ou militares, enfoca a história no tempo cultural, social e econômico. Escola dos Annales é quando o documento não é a única fonte de pesquisa para se relatar um fato ou época, se contrapõe a èvenementielle, inaugura a história problema.

Historiografia é estudar como a história foi feita, qual o método empregado, o tempo é contínuo, é uma ruptura. O presente é um ponto minúsculo, que mal nasce morre.

“ os historiadores são recordadores profissionais daquilo que os cidadãos querem esquecer”

Eric Hobsbawm 1917-2012

Prof. Luiz

 

02/02/2015



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 01h00
[] [envie esta mensagem] []



 

POVO AFRICANO BERÇO DA CIVILIZAÇÃO HUMANA 8ª Série 

 

Segundo estudos realizados através da paleontologia e outras áreas da historiografia, incluindo as pesquisas realizadas por pré-historiadores, concluímos que o homem é fruto da evolução contínua de ancestrais primatas. Embora algumas evidências tenham sido encontradas em outras regiões, o continente africano particularmente nas regiões onde hoje conhecemos por Etiópia e arredores tais como Quênia, Sudão, se sobressai devido a quantidade de evidências encontradas. Crânios com volume aumentando acompanhando o processo evolutivo sugere a hominização dos primatas nessa região.

o utensílio não nos permite delimitar o inicio da hominização, o material obtido é insuficiente para delimitar com precisão e, nos ater que entre os grupos a evolução física, intelectual e na arte da indústria humana, não era homogenia.

 

A África através de estudos e pesquisas realizadas colocam o continente no topo em relação ao processo de hominização da raça humana

 

Em solo africano vamos encontrar o Australopiteco considerado o primeiro hominídeo, bípede, com um desenvolvimento intelectual considerável, e finalmente o Homo sapiens com características negroides.

No que diz respeito a parte física do negro como cor da pele, cabelos encarapinhados, lábios grossos, pernas finas, nariz achatado e outras características são resultado das condições tropicais

 

Quanto ao desenvolvimento tecnológico permitiu ao homem se impor aos demais seres e, por ter sido artesão tornou-se inteligente, o fato de permanecer ereto e ter as mãos livres foi um fator determinante que auxiliou no seu caminho rumo a evolução

. O progresso constante em aperfeiçoamento e variedade de materiais na busca da eficácia liberta o homem do estereótipo de instinto.

Quanto a dinâmica social a troca de mercadorias e seu relacionamento com seus semelhantes deram impulso a atividade cerebral ligadas ao trabalho e a fala

por outro viés a dispersão intensificou a necessidade de aprimoramento das técnicas para garantir a sobrevivência da tribo.

sendo a escrita em geral pouco utilizada tudo era transmitido de forma oral pelos griots.

 

Finalmente, devemos considerar as estruturas socioeconômicas como sistema familiar de produção, que caracterizou as sociedades africanas, até sofrerem a influência do islamismo e cristianismo colonial. A mulher não era inferiorizada na cultura africana, ela desempenhava um papel importante na sociedade tanto na herança de bens como na sucessão real, como exemplo vamos encontrar a rainha Zinga de Angola no século XVII

O processo evolutivo desde os primeiros hominídeos até o homem moderno descrito anteriormente é o suficiente para jogar por terra todos os estereótipos negativos e teorias preconceituosas impingidas pelos europeus, diziam que “somente as raças superiores (brancas) eram capazes de construir civilizações”, com o objetivo de justificar suas invasões e exploração do homem negro africano e seus bens.

 

O declínio e importância do continente africano são por ter sido explorado sem a compensação adequada. Na antiguidade o vale do Nilo torna-se o celeiro de Roma, são retirados animais selvagens, escravos e gladiadores. A partir do século XV começa o tráfico de escravos, e por fim no século XIX a invasão extrativista, dilapidação e invasão territorial impetrada pelos colonizadores europeus promoveram a miséria do povo em detrimento do enriquecimento da metrópole

 

Prof. Luiz

 

3/2/2015



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 00h53
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]