PROFESSOR LUIZ


Caros alunos,

Não será possível publicar as notas na nossa página...

quem desejar pode consultar na pagina do Gdae ou comparecer quinta feira na escola.

eu e os demais professores estarão lá durante o dia todo.

abração fraternal a todos




Escrito por PROFESSOR LUIZ às 00h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Á   F   R   I   C   A

SEQUÊNCIA CRONOLÓGICA DOS ACONTECIMENTOS

1750= Revolução Industrial > Consolidação do Capitalismo > Imperialismo > 1º e 2ª Guerra Mundial > >>> Mundo Bi Polar  (EUA x URSS ) > Guerra Fria > Corrida Armamentista > Corrida Espacial > Dominação Tecnológica e Financeira a qual perdura até os dias atuais, corrente na qual o Brasil está preso.

1885 > Conferência de Berlim > os países europeus precisando de matéria prima e mão de obra barata decidiram nessa reunião invadir o continente africano. Os principais países que participaram dessa reunião foram > Alemanha, Bélgica, França, Inglaterra, Itália, Espanha, Portugal .

Iniciaram pelas nações do norte da África que são > Argélia, Marrocos, Tunísia, Líbia e Egito. Depois deram seqüência nos países subsaarianos, que são aqueles que estão abaixo do deserto do Saara.

Usaram como égide levar para os africanos > progresso nas comunicações e estradas de rodagem e ferrovias, melhoria na saúde com a construção de hospitais,  educação com a alfabetização, e para obterem a aprovação de Roma alegaram levar também o cristianismo, por os africanos praticarem suas religiões africanas com sincretismo muçulmano. Os comerciantes árabes levavam em sua bagagem alem das mercadorias a sere comercializadas a religião muçulmana fundada por Maomé em 620 na cidade de Meca.

Do que foi prometido pouco foi levado de bom, na verdade levaram > miséria, fome, doenças, guerras, e particularmente a escravidão, tiraram dos nativos sua língua, liberdade e religião.

MOTIVOS > A África estava próximo do sul da Europa, separada apenas pelo Mar Mediterrâneo, era um continente riquíssimo em petróleo, ferro, muitos minerais diversos necessários na indústria, pedras preciosas, ouro, alumínio, cobre, carvão. A história de Cam filho de Noé narrada em gênesis na bíblia legitimou quanto a parte religiosa.

Outros fatores que contribuíram foram a baixa resistência militar, os africanos lutavam com arco e flechas contra metralhadoras e canhões. A conivência africana por parte de algumas tribos teve um peso importante, alguns chefes de tribos por se desgostarem de outras tribos ou por acreditar que seriam beneficiados pelos europeus eram treinados e armados para lutar e aprisionar os integrantes de outras tribos. Os africanos não formavam uma nação coesa, mas estavam divididos em várias tribos, com etnias diferentes. Após décadas de submissão retiraram tudo que podiam do continente, mas pouco ou nada de bom foi deixado como herança.

DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA > Após a 2ª Guerra os países europeus estavam destroçados sem muito poder para combater os africanos que se aproveitando do enfraquecimento europeu iniciaram por volta de 1950 suas guerras para expulsar os europeus. A Argélia colônia francesa desencadeou uma revolução muito sangrenta e foi um dos primeiros países a conquistar sua liberdade. Outros seguiram o exemplo dos argelinos. Convém mencionar que durante a 2ª guerra muitos africanos lutaram contra os alemães.

Outro fator que deve ser destacado é que havia o “NEPOTISMO” entre os europeus, um não interferia nos assuntos do outro dentro da África. O Congo Belga foi uma das nações que mais sofreram nas mãos do Rei Leopoldo da Bélgica, quando um escravo não trazia o suficiente, os soldados africanos a mando dos europeus mutilavam as filhas e mulheres do trabalhador, amputando a golpes de facão seus seios, nariz, orelhas, e mãos. Quando os europeus deixaram a África muitas fronteiras haviam se mesclado, dando origem a  guerras que perduram até os dias atuais, e certamente os europeus vendem armas para fomentar essas guerras e lucrar a custa do sangue dos nativos africanos.

 

Em 1955 foi realizada a conferência de Bandung na indonésia na qual os países do terceiro mundo asiático e árabes passaram a defender o Pan Arabismo, no qual a intenção era defender a cultura a liberdade e os interesses dos países que se sentiam explorados pelos americanos russos e europeus. Esse processo foi amplamente defendido por vários lideres africanos dentre eles destacou-se Gamal Abdel Nasser presidente do Egito e Anwar Al Sadat, ambos defendiam o Pan Arabismo no qual pretendiam defender os interesses árabes, por estarem descontentes com sua atuação os países europeus e americanos tramaram sua morte. Em uma parada militar Al Sadat foi assassinado pelos próprios soldados egípcios que discordavam de sua política.

Por outro lado uma união africana torna-se muito difícil devido a grande diversidade de etnias e situação econômica. Algumas nações africanas são produtoras de petróleo e dependem da venda desse bem para os europeus, portanto não desejam romper com esse comércio por dependerem muito dessa exportação. Enquanto não chegam a um acordo as guerras africanas e tribais, continuam a alimentar os gordos cofres europeus, exportadores de tecnologia armamentista e poder econômico.

 

Prof. Luiz Bortolo

História

 

 

26/09/2016 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 01h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA DE 1889 ATÉ 1930

D. Pedro II estava no poder desde 1840, portanto a 49 anos no trono, após vários desgastes com o povo, mas principalmente com o exército, teve o palácio no Rio de Janeiro cercado pelas tropas do Gaucho Marechal Deodoro  da Fonseca e, num autêntico golpe militar depôs o Imperador D. Pedro II, pondo fim ao império e instalando um governo republicano presidencialista. Durante o império cabia ao imperador nomear seus representantes, mas com o estabelecimento da república, as famílias mais poderosas de cada estado (oligarquias) estaduais passaram a ter enorme poder político.

A Proclamação da República, foi um golpe militar, conduzida por militares  apoiados por um grupo de republicanos civis, pela elite, pela igreja, liderados pelo gaucho Marechal Deodoro da Fonseca.

Estando os cafeicultores ( grandes fazendeiros) paulistas eles defendiam uma nova organização política para o Brasil, e maior poder para as províncias. No interior o PRP Partido Republicano Paulista era formado pelos representantes dos fazendeiros e na cidade pelos profissionais liberais e grandes comerciantes. Quintino Bocaiuva era um jornalista e político brasileiro ele defendia a ideia de que o golpe deveria ser dado mas sem a participação popular, antagônico a essa posição Silva Jardim era um jornalista e advogado e político acreditava que o povo deveria tomar parte na ação.

Nessa época a condição dos soldados brasileiros era muito ruim, em matéria de armamento, farda, promoções e salários atrasados e minguados e sem prestígio algum, com a vitória na Guerra do Paraguai (1864 a 1870)  o exército saiu fortalecido e desejando participar do governo. Em 1880 Houve um desgaste entre os oficiais e D. Pedro II por eles terem se envolvido em questões do governo, e a cada dia ficava mais clara a intenção dos militares assumirem um papel na política brasileira. Durante o tempo de permanência dos militares após o golpe ficou conhecida como a República da Espada que foi de 1889 até 1894 governada por militares, o primeiro presidente do Brasil sendo não um militar mas sim um civil, foi Prudente de Moraes que governou de 1894 a 1898, sendo seguido por Campos Sales..

Uma das mais importantes ações do Barão do Rio Branco como Ministro do Exterior foi que em  1903 o Brasil comprou da Bolívia o território do Acre, por 2 milhões de libras. Outra medida importante dessa época foi a convocação de uma assembléia Constituinte, para redigir as novas leis do país. Essa Assembléia constituinte era em sua maioria representantes dos senhores de terras e dos militares de alta patente. A primeira constituição da republica dividiu o governo nos três poderes Legislativo, Executivo e Judiciário.

Segundo a constituição quem podia e quem não podia votar, Podiam votar cidadãos com mais de 21 anos e alfabetizados. O voto não era secreto, não podiam votar mulheres, pobres, praças e analfabetos. Com a nova constituição, as províncias transformadas em Estados podiam, estabelecer leis próprias, contrair empréstimos no exterior, criar impostos, organizar uma força militar, mas nenhuma lei estadual podia ir contra a qualquer lei federal. Outra novidade é de que foi declarado o estado laico, é quando o Estado não interfere na religião, eles são separados,  cada qual pode abraçar a religião que desejar. Com a nova constituição os casamentos deixaram de ser sacramentados apenas na igreja, foi criado os cartórios civis, onde eram registrados os casamentos e nascimentos. Com a nova constituição foi extinta a pena de morte em todo o território nacional. Com a nova constituição o Brasil passou a ser chamado de República dos Estados Unidos do Brasil

 

A política dos governadores idealizada por Campos Sales, tinha por objetivo evitar o choque entre governos estaduais e governo central e garantir o poder para o s mais fortes no interior de cada estado. Eles apoiavam o governo central e em troca o governo não apoiava os candidatos da oposição.  Para garantir a posição no poder fraudava as eleições.



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 01h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


continuação

Os grandes proprietários de terras chamados de coronéis detinham o poder nas cidades rurais, exerciam poder sobre os camponeses pobres, eles dominavam a política desde os tempos coloniais, mas se fortaleceram com a república, dominavam a política através do controle do voto. O Numero de eleitores era muito reduzido devido ao voto censitário, masculino e não era secreto. Assim dominavam o poder local.

O voto de cabresto era o voto obtido através de pressões ou pela compra do voto. Miguel Arraes governador de Pernambuco costumava dizer que o voto se conseguia com pancada ou com dinheiro, se não funcionasse bastava aumentar a dose.

A república passou a eleger os presidentes preferivelmente de S. Paulo e Minas por serem os dois estados mais ricos. Essa hegemonia ficou conhecida como a política do café com leite por eleger o presidente com os dois estados se alternando.

Vez por outra ocorria divergência entre os estados e presidente de outro estrado como o gaucho Hermes da Fonseca foi eleito em 1910. E em 1918 foi eleito o paraibano Epitácio Pessoa, tio de João Pessoa.

O café passa a liderar as exportações durante o segundo império e a primeira república ou república velha (1989 a 1930) . Foi uma política visando proteger os produtores de café.

A principal medida foi adotada em 1906 durante o convênio de Taubaté, o governo tomava dinheiro emprestado no exterior e comprava o café dos fazendeiros.

 

A constituição de 1891 aboliu o voto censitário (só os ricos podiam votar ou ser eleitos) e permitiu o voto a todo homem alfabetizado, exceto o clero e soldados. As famílias poderosas se sentiram ameaçadas em perder o poder e passaram a intimidar o eleitor a votar nas pessoas por eles indicadas. Geralmente esses políticos eram ricos fazendeiros e membros da guarda nacional e, passaram a ser chamados de coronéis. Os votos eram conseguidos através de violência ou troca de favores (fidelidade igual no feudalismo) porém se o candidato indicado pelo coronel perdesse a eleição, eles recorriam a fraude, falsificação da eleição.

Os coronéis se agrupavam em torno de um candidato e elegiam o governador do estado e, os governadores faziam o mesmo com o presidente, de forma tal que depois todos recebiam favores políticos e econômicos.

A política do café com leite = São Paulo e Minas eram os dois estados mais ricos e populosos no Brasil, A oligarquia paulista estava reunida no PRP (partido republicano paulista) e a mineira no PRM (partido republicano mineiro) os dois se união e elegiam presidentes que iria defender seus interesses alternando entre um paulista e um mineiro. Durante a República Velha o café liderava as exportações brasileiras para o EUA e Europa, os cafeicultores investiam em novas plantações, com isso o Brasil passou a produzir mais café do que os países importadores queriam comprar, o resultado foi um gigantesco estoque de café nos armazéns que fez os preços despencar. É justamente nesse processo que vamos entender os interesses das oligarquias. Os fazendeiros ajudavam a eleger o presidente, o estado por sua vez comprava do fazendeiro todo café excedente com empréstimos conseguidos no exterior e o Brasil apesar de grande exportador de café ficava cada vez mais endividado, e o povo continuava na miséria cercados por ricos fazendeiros.

O café foi introduzido no Brasil inicialmente no Pará, posteriormente no Rio de Janeiro e  Vale do Paraíba, onde os “Barões do Café”plantavam com dinheiro emprestado do Banco do Brasil e mão de obra escrava, ao passo que os cafeicultores paulistas tinham sua plantação financiada com recursos próprios obtidos com a cana de açúcar e, utilizavam mão de obra assalariada dos imigrantes, obtendo dessa forma melhor resultado que o obtido no Rio de Janeiro, com mão de obra escrava.  Como as terras no Vale do Paraíba estavam muito cara, o café começou sua subida para o noroeste paulista. Com os enormes lucros obtidos com o café alguns fazendeiros passaram a investir na indústria que estava despontando no Brasil. Além do café o Brasil também exportava cacau produzido na Bahia e Borracha no Acre Amazonas e Para. Com a indústria automobilística sempre crescente a borracha proporcionou muito lucro com essa exportação que durou de 1898 a 1910. Percebemos aqui um imperialismo bem definido, o Brasil exportava Matéria prima e importava produtos industrializados vindos do EUA e da Europa bem mais caros. O ciclo da borracha durou pouco, ingleses e holandeses levaram mudas de borracha para suas colônias na Ásia e em 1915 já produziam mais que o Brasil. No sul da Bahia o cacau utilizado na fabricação de chocolate enriqueceu muitas famílias que passaram a dominar a política da região. No Rio Grande do Sul, plantavam arroz, mate, fumo e uva para o vinho, mas sua produção era mais destinada ao consumo interno, pouco exportava.

Entre 1900 e 1920 a industrialização do Brasil cresceu muito, impulsionado pela 1ª Guerra (1914 a 1918) porque muitos produtos tiveram de ser fabricados aqui. Outro fator muito importante que gerou o crescimento das indústrias foi o lucro obtido com a agricultura de exportação, facilidade na matéria prima, mão de obra barata e portos para escoar a produção.

São Paulo tornou-se o estado mais industrializado do país, a maior parte com o dinheiro dos fazendeiros do café Como Antonio Álvares Penteado e do imigrante italiano Francisco Matarazzo, as maiores indústrias eram têxteis, alimentação, bebidas e vestuário. Após a 1ª Guerra a Inglaterra não podendo saldar suas dívidas com os americanos  fizeram um acordo e a Inglaterra “deu” o Brasil para os americanos ( a Inglaterra dominava o Brasil por estarmos muito endividado com os ingleses) Os americanos começaram a investir no Brasil. Com o crescimento das indústrias houve a urbanização das cidades e aumento  população hurbana e,  começaram a surgir os problemas com abastecimento de água e tratamento dos esgotos os quais cresceram mas não no mesmo compasso. O crescimento de São Paulo atraiu populações do interior e também de imigrantes de várias partes do mundo. Por serem brancos e católicos os portugueses italianos e espanhóis foram os preferidos pelas autoridades e fazendeiros. Os imigrantes se dedicavam a todos os tipos de trabalho na cidade e no campo, porém uma curiosidade deve ser ressaltada, entre as décadas de 60 a 90 a grande força de trabalho nas industriais metalúrgicas era constituída por italianos e seus descendentes. Por volta de 1908 o Brasil passou a receber imigrantes asiáticos principalmente os japoneses que se dirigiram para as fazendas de café no norte e noroeste paulista. Sírios, libaneses e judeus também aportaram no Brasil e se dedicaram ao comercio.

Com a construção da estrada de ferro um engenheiro inglês chamado Charles Miller em 1894 trouxe o futebol para o Brasil, um novo esporte que era praticado somente pelas pessoas de alto padrão financeiro devido ao custo da bola e dos uniformes. Aos poucos o esporte foi se popularizando. Com a popularização do futebol os clubes ganharam uma força extra que até então não existia em seu início, foi a torcida que hoje representa uma grande força para os clubes

Nesse cenário em 1893 Surge Antonio Vicente Mendes Maciel, conhecido como Antonio conselheiro ou simplesmente Beato, explorando a fé e a miséria em que o povo se encontrava formara no sul da Bahia o Arraial de Canudos, os fazendeiros e poderosos da região temerosos com o crescimento de Canudos e por estarem perdendo mão de obra, disseram que Canudos era um reduto de monarquistas fanáticos e perigosos. Foi o que bastou para o governo federal enviar 3 expedições de soldados que foram derrotados, foi preciso uma 4ª expedição com 7 mil soldados dinamite e canhão para em 5 de outubro de 1897 massacrar o Arraial de Canudos, houve poucos sobreviventes. Na divisa de Santa Catarina com o Paraná nessa mesma época liderados por um monge chamado José Maria houve a guerra do Contestado, gerada



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 01h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


continuação

pelos mesmos motivos que Canudos. A construção de uma estrada de ferro na região expulsou os pobres moradores que se viram sem terra para plantar e morar, se revoltaram e resolveram travar uma luta que durou de 1910 a 1916 quando foram derrotados e massacrados. No nordeste Virgulino Ferreira da Silva o Lampião forma um grupo de cangaceiros e por volta de 1920 a 1938 luta a sua maneira contra a força dos poderosos. Foi derrotado por ter sido traído por um comerciante da região.

 No Rio de Janeiro em 1904 ocorre a Revolta da Vacina, o povo se recusa a ser vacinada a força por ordem de Oswaldo Cruz. Em novembro de 1910 João Cândido lidera a Revolta da Chibata, contra os maus tratos infringidos contra os marinheiros.  Em 1917 operários paulistas liderados pelo Partido Comunista do Brasil promovem uma grande greve em que muitas pessoas foram mortas pela polícia. Na década de 20 um português chamado Roquete Pinto traz uma grande novidade para o Brasil, o rádio, a 1ª emissora começa a funcionar no Rio de Janeiro e até os dias de hoje seu crescimento foi gigantesco, alavancado pelos políticos que viam no rádio uma forma de dominar uma população em que a maioria era analfabeta. Vamos notar que após a proclamação da república em 1889 até o golpe militar de 1964 o Brasil foi marcado por diversas revoltas populares.

O Partido Comunista Brasileiro  (PCB) liderado por Luís Carlos Prestes, conhecido posteriormente como “O Velho” foi o marido de Olga Benário, uma alemã judia que depois de presa foi encaminhada para a Alemanha e após o nascimento de sua filha, foi  morta na câmara de gás. O PCB era o maior partido da época, a divergência entre o PC do B e o PCB é que o PC do B defendia a idéia de tomar o poder através de uma luta armada, ao passo que o PCB com raízes na Rússia defendia a idéia de tomar o poder pelas meios legais. Os anarquistas, partido político defendido pela extrema direita formada pela elite, isto é defendiam a inexistência do Estado É preciso destacar que nessa época não havia nenhum partido político com influência nacional, apenas estadual. No início do sec. XX 1906 os trabalhadores se reuniram exigindo uma jornada de trabalho por 8 horas semanais. Esse fato é muito importante destacar e esclarecer. Quando o trabalhador exige 8 horas semanais não significa apenas que ele deseja trabalhar menos, mas sim que o patrão terá de contratar mais funcionários para realizar o mesmo serviço, diminuindo dessa forma a taxa de desemprego, conseqüentemente há a tendência dos salários subirem. Em 1907 numa tentativa de enfraquecer o movimento operário o governo aprovou uma lei que permitia expulsar do Brasil todo imigrante que participasse de greve. Apesar da opressão o movimento não perdeu força. Em 1917 uma greve que teve início no Cotonifício Crespi (esse prédio abriga hoje o supermercado Extra no bairro da Mooca, onde foi preservada sua fachada) essa greve se espalhou por vários estados como Rio, Minas, Rio Grande do Sul, Paraíba e outros estados. Em São Paulo a polícia matou a tiros o operário Francisco Martinez na porta da fábrica de tecidos Francisco Matarazzo, essa atitude por parte do governo apenas serviu de fermento para os grevistas.

Os operários no começo do século XX trabalhavam de 14 a 16 horas diárias, com poucas possibilidades de descanso e lazer. Moravam em habitações precárias como os cortiços geralmente instalados na periferia, padecendo com transportes precários e infra-instrutora, não havia luz elétrica, não recebiam água tratada e nem havia a coleta e afastamento dos esgotos e de lixo, as doenças se multiplicavam, eram acusados pelas classes mais abastadas de promover a disseminação de doenças tais como gripe, sarampo, rubéola, varíola, tuberculose e principalmente a peste negra. No caso de doença, invalidez ou desemprego o trabalhador ficava totalmente desamparado, e tinha sua sobrevivência ameaçada.

Em março de 1922 um grupo composto por líderes operários e intelectuais fundou o Partido Comunista do Brasil (PCB). Os comunistas ao contrário dos anarquistas e socialistas tinham uma organização centralizada e nacional, que defendia  um governo composto pelo proletariado e a coletivização das terras e fábricas. Os anarquistas se recusavam a participar do processo eleitoral, o PCB participava, pois julgava que esse era um meio legítimo de atuação para a transformação social. Pouco tempo depois o PCB foi colocado na ilegalidade por Epitácio Pessoa (1919-1922), mas o partido continuou agindo de forma clandestina, o jornal que defendia a classe patronal passou a rotular todas as greves como comandadas por Moscou capital da URSS.

As autoridades brasileiras viam nas greves um caso de polícia e não social invadiam associações operárias e prendiam seus lideres. O presidente Artur Bernardes em 1925 mudou de estratégia, tornando o dia 1º de maio feriado nacional, com isso pretendia que os trabalhadores deixassem de ver essa data como dia de resistência e luta e a transformasse em dia de festa. No Teatro Municipal de São Paulo entre 13 e 17 de fevereiro de 1922 houve a semana da Arte Moderna, esse evento causou profundas influências nos paulistas e restante do Brasil, estavam presentes compositores, pintores como Di Cavalcanti e Anita Malfatti e Tarsila do Amaral,  principalmente escritores como Mario de Andrade e Osvaldo de Andrade, o inventor Santos Dumont dentre outras figuras de renome nacional. Esse movimento cultural denominado de Modernismo pretendia buscar respostas para perguntas como: “Quem somos nós”? O que é ser brasileiro? Reelaborar as culturas vindas do exterior, mas principalmente valorizar a cultura brasileira. Nesse contexto Gilberto Freyre publicou “Casa Grande e Senzala” e o historiador Sergio Buarque de Holanda (pai do compositor Chico Buarque de Holanda) produziu em 1936 “Raízes do Brasil” um livro que conta toda trajetória e miscigenação da cultura do povo brasileiro, suas conquistas e derrotas.

Muitas cidades principalmente São Paulo crescia em ritmo acelerado, a industrialização e comércio prosperavam bastante, o crescimento da cidade de São Paulo e sua população, vindas de outros estados e do interior paulista se dirigiam para a periferia devido aos altos preços cobrados pelos imóveis nas áreas mais centralizadas. A formação profissional tornou-se uma necessidade, bem como a implantação de escolas, com a finalidade de preparar a classe trabalhadora para servir a classe dominante. Mas nesse processo os trabalhadores foram ganhando consciência de sua condição e passaram a se organizar em sindicatos, os sindicatos tinham por finalidade defender o interesse do trabalhador e promover lazer e trabalhos sociais.

A denominada Velha República dominada pela oligarquia brasileira perdura até o final do ano de 1930, quando descontentes com a atuação do governo federal Washington Luís, liderados pelo gaucho Getúlio Dorneles Vargas, dão um golpe militar e derrubam do cargo o presidente. Getúlio governa o país até 24 de agosto de 1954 quando comete suicídio no Palácio do Catete no Rio de Janeiro que era na época a capital do Brasil, com interrupção em seu mandato apenas entre 1945 a 1950 que foi governado pelo General Eurico Gaspar Dutra. A era Vargas será estuda a seguir...

 

Prof. Luiz Bortolo

História

 

07/09/2016



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 01h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


atenção para todas as salas de todos os anos só vale se a resposta estiver certa e não for muito resumida

tem de estar com resposta bem legível..

boa sorte a voce que pesquisou e



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 00h10
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


os 3 primeiros alunos do 3º médo de cada sala que me entregar uma folha com nome numero e série com caneta azul ou preta

até o dia 9/9 explicando o que foi a Coluna Prestes e qual a plataforma de getulio ganhará 1 ponto na nota da prova.



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 00h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


os 3 primeiros alunos do 9º A que me trouxerem até sexta feira dia 9/9 escrito com caneta azul ou preta

com nome numero e série explicando  qual o significado da sigla MMDC e o que foi a revoada dos galinhas verdes

receberá um ponto na nota da prova.



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 00h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


os 3 primeiros alunos do 1º ano de cada classe   que me trouxerem até sexta feira dia 9/9

com nome numero e série escrito a caneta azul ou preta explicando por que os gregos declararam guerra a Tróia

e qual a diferença no campo político, social e cultural entre Esparta e Atenas

gahará 1 ponto na nota da prova.



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 23h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


os 3 primeiros alunos do 6º E  que me trouxerem até sexta feira dia 9/9

com nome numero e série escrito a caneta azul ou preta explicando por que os gregos declararam guerra a Tróia

e o que foi o Cavalo de Troia, receberá um ponto na nota da prova.



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 23h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


QUESTIONARIO PRIMEIRO GOVERNO VARGAS

 

1= O que é oligarquia?

 

2= O que foi o movimento brasileiro conhecido como tenentismo?

 

3= Em que data ocorreu e o que foi o episódio conhecido como os 18 do forte?

 

4= Quem foi para a foz do Iguaçu e por que?

 

5= Faça um pequeno resumo do que foi a coluna Prestes?

 

6= Quem Washington Luís indicou para presidente?

 

7= Quais estados compunham a Aliança Liberal?

 

 8= Qual era a plataforma política de Getulio e de quem ele copiou?

 

9= Qual foi o fato que provocou a revolta armada da Aliança Liberal e em que ano ocorreu?

 

10= Os mandatos de Getulio foram divididos em três etapas até 1945 cite as datas e condição?

 

11= Por que Getulio renunciou em 1945?

 

12=Quem governou o Brasil entre 1945 a 1950?

 

13= Quando e por que Vargas cometeu suicídio?

 

14= O que você sabe sobre a sigla MMDC?

 

15= Qual a data da Revolução Constitucionalista feita por S. Paulo? Quando terminou?

 

16= Por que os paulistas se revoltaram contra o Governo Getulista?

 

17= Quais as cinco principais conquistas obtidas na Constituição de 1934?

 

18= Quem compunha as fileiras dos integralistas e o que eles defendiam? Quem era seu rival?

 

19= Qual era a palavra usada na saudação integralista e qual era o lema da (AIB)?

 

20= O que foi a revoada dos “Galinhas Verdes”?

 

 

Prof. Luiz = História

 

24/08/2016

 

 

 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 23h43
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


QUESTIONÁRIO GRÉCIA ANTIGA  1     pag. 180 a 189 = 6ª

 

Primeira parte

 

1= A Grécia está localizada em qual continente? Qual o nome dos dois mares que cercam a Grécia?

 

2= Qual regime político é oriundo da Grécia?

 

3= Qual o significado da palavra Democracia?

 

3 A= O que era a Ágora?

 

4= Qual é o nome da maior ilha pertencente a Grécia? Desde quando ela era povoada?

 

5= Por volta do ano de 1450 a.C. quem conquistou a Ilha de Creta?

 

6= Quem eram os Aqueus? De onde vieram?

 

7= Qual o nome da principal cidade dos Aqueus no sul da Grécia?

 

8= Qual foi o conhecimento que os Aqueus aprenderam com os cretenses?

 

9= Por volta do ano de 1200 a.C quais foram os povos que invadiram a Grécia?

 

10= O historiador grego Homero escreveu duas obras, quais são elas e o que narram?

 

11= Por que os gregos declararam guerra contra Tróia?

 

12= Faça um pequeno resumo do que foi o Cavalo de Tróia construído pelos gregos?

 

13= O que era os genos e como produziam e no que eles acreditavam?

 

14= O que é uma Cidade Estado?

 

15= O que ocorreu no séc. VIII a.C. que favoreceu o crescimento da população?

 

16= Por que alguns pequenos proprietários se tornavam escravos?

 

17= Por que muitos gregos procuravam terras em outro lugar?

 

18= Como era chamado o sul da Itália pelos gregos?

 

19= O que era uma colônia?

 

20= De o nome de seis cidades gregas e quais eram as duas principais?

 

 

Prof. Luiz = História

25/ de agosto de 2013

 

 

 

 

 

 

 

 

RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO GRÉCIA PG. 180 A 189

 

1= A Grécia está localizada em qual continente? Qual o nome dos dois mares que cercam a Grécia?

R= No continente Europeu, na Península Balcânica no Sul da Europa.  Mar Jônico que separa a Grécia da Itália e Egeu entre a Grécia e Ásia

 

2= é a democracia   3= demos significa povo e kratos = poder ===poder que emana do povo.

 

3 A.= Era o centro político e econômico da cidade onde estava localizados os prédio públicos.

 

4= A maior ilha é Creta  povoada desde 2000 AC   5= foi um povo chamado de Aqueus que aprenderam a construir barcos com os cretenses

 

6= Os aqueus eram um povo indo-europeu vindos do leste europeu que colonizaram a Grécia por volta do ano 1450 a.C.

 

7= Foi a cidade de Micenas importante centro político e comercial.

 

8= foi a construção de barcos             9 = foram os Jonos, aqueus, dórios e eóleos.

 

10= Foram Ilíada que narra a Guerra de Tróia   e Odisséia que narra os doze trabalhos de Hércules

 

11=Gregos e troianos entraram em guerra por causa do rapto da princesa Helena de Tróia (esposa do rei lendário Menelau), por Páris (filho do rei Príamo de Tróia). Isto correu quando o príncipe troiano foi à Esparta, em missão diplomática, e acabou apaixonando-se por Helena.

 

12= Os gregos não conseguiam vencer as muralhas de Tróia, decidiram construir um grande cavalo de madeira como se fosse um presente, mas entro dele estavam escondidos alguns soldados gregos que durante a noite saíram do cavalo e abriram os portões para o exercito entrar, dessa forma venceram Tróia.

 

13= Era uma grande família que moravam e plantavam em uma peqena área ( sítio) produziam por subsistência, isto é apenas para o proprio consumo,

não vendiam suas mercadorias e, acreditavam ser descendentes de uma mesma pessoa.

 

14= Cidade Estado é uma cidade independente que se auto governa, tendo suas tradições. Leis e religião.

 

15= Os gregos saíram de sua região e fundaram várias colônias em busca de terras férteis.

 

16= Por não conseguirem pagar suas dívidas, geralmente essa escravidão era por um período determinado.

 

17= Porque a Grécia tinha poucas terras férteis que estavam nas mãos dos nobres e ricos.

 

18= era chamada de magna Grécia por haver muitas colônias.

19= Era uma cidade que recebia ordens da cidade matriz, pagavam impostos e forneciam soldados para o exército da cidade dominante

 

 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 23h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


RESUMO DOS BASTIDORES DA POLÍTICA ANTES E APÓS VARGAS  9º

D. Pedro II após vários desgastes com o povo, mas principalmente com o exército, teve o palácio no Rio de Janeiro cercado pelas tropas do Gaucho Marechal Deodoro  da Fonseca e, num autêntico golpe militar depôs o Imperador D. Pedro II, pondo fim ao império e instalando um governo republicano presidencialista. Durante o império cabia ao imperador nomear seus representantes, mas com o estabelecimento da república, as famílias mais poderosas de cada estado (oligarquias) estaduais passaram a ter enorme poder político.

A constituição de 1891 aboliu o voto censitário (só os ricos podiam votar ou ser eleitos) e permitiu o voto a todo homem alfabetizado, exceto o clero e soldados. As famílias poderosas se sentiram ameaçadas em perder o poder e passaram a intimidar o eleitor a votar nas pessoas por eles indicadas. Geralmente esses políticos eram ricos fazendeiros e membros da guarda nacional e, passaram a ser chamados de coronéis. Os votos eram conseguidos através de violência ou troca de favores (fidelidade igual no feudalismo) porém se o candidato indicado pelo coronel perdesse a eleição, eles recorriam a fraude, falsificação da eleição.

Os coronéis se agrupavam em torno de um candidato e elegiam o governador do estado e, os governadores faziam o mesmo com o presidente, de forma tal que depois todos recebiam favores políticos e econômicos.

A política do café com leite = São Paulo e Minas eram os dois estados mais ricos e populosos no Brasil, A oligarquia paulista estava reunida no PRP (partido republicano paulista) e a mineira no PRM (partido republicano mineiro) os dois se união e elegiam presidentes que iria defender seus interesses alternando entre um paulista e um mineiro. Durante a República Velha o café liderava as exportações brasileiras para o EUA e Europa, os cafeicultores investiam em novas plantações, com isso o Brasil passou a produzir mais café do que os países importadores queriam comprar, o resultado foi um gigantesco estoque de café nos armazéns que fez os preços despencar. É justamente nesse processo que vamos entender os interesses das oligarquias. Os fazendeiros ajudavam a eleger o presidente, o estado por sua vez comprava do fazendeiro todo café excedente com empréstimos conseguidos no exterior e o Brasil apesar de grande exportador de café ficava cada vez mais endividado, e o povo continuava na miséria cercados por ricos fazendeiros.

O café foi introduzido no Brasil inicialmente no Pará, posteriormente no Rio de Janeiro e  Vale do Paraíba, onde os “Barões do Café”plantavam com dinheiro emprestado do Banco do Brasil e mão de obra escrava, ao passo que os cafeicultores paulistas tinha sua plantação financiada com recursos próprios obtidos com a cana de açúcar e, utilizavam mão de obra assalariada dos imigrantes, obtendo dessa forma melhor resultado que o obtido no Rio de Janeiro, como as terras no Vale do Paraíba estavam muito cara, o café começou sua subida para o noroeste paulista. Com os enormes lucros obtidos com o café alguns fazendeiros passaram a investir na indústria que estava despontando no Brasil. Além do café o Brasil também exportava cacau produzido na Bahia e Borracha no Acre Amazonas e Para. Com a indústria automobilística sempre crescente a borracha proporcionou muito lucro com essa exportação que durou de 1898 a 1910. Percebemos aqui um imperialismo bem definido, o Brasil exportava Matéria prima e importava produtos industrializados vindos do EUA e da Europa bem mais caros. O ciclo da borracha durou pouco, ingleses e holandeses levaram mudas de borracha para suas colônias na Ásia e em 1915 já produziam mais que o Brasil. No sul da Bahia o cacau utilizado na fabricação de chocolate enriqueceu 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 23h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


muitas famílias que passaram a dominar a política da região. No Rio Grande do Sul, plantavam arroz, mate, fumo e uva para o vinho, mas sua produção era mais destinada ao consumo interno, pouco exportava.

Entre 1900 e 1920 a industrialização do Brasil cresceu muito, impulsionado pela 1ª Guerra (1914 a 1918) porque muitos produtos tiveram de ser fabricados aqui. Outro fator muito importante que gerou o crescimento das indústrias foi o lucro obtido com a agricultura de exportação, facilidade na matéria prima, mão de obra barata e portos para escoar a produção.

São Paulo tornou-se o estado mais industrializado do país, a maior parte com o dinheiro dos fazendeiros do café Como Antonio Álvares Penteado e do imigrante italiano Francisco Matarazzo, as maiores indústrias eram têxteis, alimentação, bebidas e vestuário. Após a 1ª Guerra os americanos começaram a investir no Brasil. Com o crescimento das indústrias houve a urbanização da população e,  começaram a surgir os problemas com abastecimento de água e tratamento dos esgotos os quais cresceram mas não no mesmo compasso. O crescimento de São Paulo atraiu populações do interior e também de imigrantes de várias partes do mundo. Por serem brancos e católicos os portugueses italianos e espanhóis foram os preferidos pelas autoridades e fazendeiros. Os imigrantes se dedicavam a todos os tipos de trabalho na cidade e no campo, porém uma curiosidade deve ser ressaltada, entre as décadas de 60 a 90 a grande força de trabalho nas industriais metalúrgicas era constituída por italianos e seus descendentes. Por volta de 1908 o Brasil passou a receber imigrantes asiáticos principalmente os japoneses que se dirigiram para as fazendas de café no norte e noroeste paulista. Sírios, libaneses e judeus também aportaram no Brasil e se dedicaram ao comercio.

Com a construção da estrada de ferro um engenheiro inglês chamado Charles Miller em 1894 trouxe o futebol para o Brasil, um novo esporte que era praticado somente pelas pessoas de alto padrão financeiro devido ao custo da bola e dos uniformes. Aos poucos o esporte foi se popularizando. Um dos primeiros clubes a ser fundado foi o Clube Paulistano que posteriormente deu origem ao São Paulo Futebol Clube, era constituído apenas pelas pessoas ricas, tinha os melhores jogadores e ganhava todas as competições, com a difusão desse esporte foram fundados 2 clubes que representavam a classe pobre, o atual Corinthians e o Palmeiras, para poder vencer o Paulistano eles se uniam e formavam uma equipe com jogadores dos 2 clubes. Com a popularização do futebol os clubes ganharam uma força extra que até então não existia em seu início, foi a torcida que hoje representa uma grande força para os clubes

 

Nesse cenário em 1893 Surge Antonio Vicente Mendes Maciel, conhecido como Antonio conselheiro ou simplesmente Beato, explorando a fé e a miséria em que o povo se encontrava formara no sul da Bahia o Arraial de Canudos, os fazendeiros e poderosos da região temerosos com o crescimento de Canudos e por estarem perdendo mão de obra, disseram que Canudos era um reduto de monarquistas fanáticos e perigosos. Foi o que bastou para o governo federal enviar 3 expedições de soldados que foram derrotados, foi preciso uma 4ª expedição com 7 mil soldados dinamite e canhão para em 5 de outubro de 1897 massacrar o Arraial de Canudos, houve poucos sobreviventes. Na divisa de Santa Catarina com o Paraná nessa mesma época liderados por um monge chamado José Maria houve a guerra do Contestado, gerada pelos mesmos motivos que Canudos. A construção de uma estrada de ferro na região expulsou os pobres moradores que se viram sem terra para plantar e morar, se revoltaram e resolveram travar uma luta que durou de 1910 a 1916 quando foram derrotados e massacrados. No nordeste Virgulino Ferreira da Silva o Lampião forma um grupo de cangaceiros e por volta de 1920 a 1938 luta a sua maneira contra a força dos poderosos. Foi derrotado por ter sido traído por um comerciante da região.



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 23h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


No Rio de Janeiro em 1904 ocorre a Revolta da Vacina, o povo se recusa a ser vacinada a força por ordem de Oswaldo Cruz. Em novembro de 1910 João Cândido lidera a Revolta da Chibata, contra os maus tratos infringidos contra os marinheiros.  Em 1917 operários paulistas liderados pelo Partido Comunista do Brasil promovem uma grande greve em que muitas pessoas foram mortas pela polícia. Na década de 20 um português chamado Roquete Pinto traz uma grande novidade para o Brasil, o rádio, a 1ª emissora começa a funcionar no Rio de Janeiro e até os dias de hoje seu crescimento foi gigantesco, alavancado pelos políticos que viam no rádio uma forma de dominar uma população em que a maioria era analfabeta. Vamos notar que após a proclamação da república em 1889 até o golpe militar de 1964 o Brasil foi marcado por diversas revoltas populares.

O partido comunista do Brasil  (PCB) era o maior partido da época, a divergência entre o PC do B e o PCB é que o PC do B defendia a ideia de tomar o poder através de uma luta armada, ao passo que o PCB com raízes na Rússia defendia a ideia de tomar o poder pelas meios legais. Os anarquistas, partido político defendido pela extrema direita formada pela elite, isto é defendiam a inexistência do Estado É preciso destacar que nessa época não havia nenhum partido político com influência nacional, apenas estadual. No início do sec. XX 1906 os trabalhadores se reuniram exigindo uma jornada de trabalho por 8 horas semanais. Esse fato é muito importante destacar e esclarecer. Quando o trabalhador exige 8 horas semanais não significa apenas que ele deseja trabalhar menos, mas sim que o patrão terá de contratar mais funcionários para realizar o mesmo serviço, diminuindo dessa forma a taxa de desemprego, consequentemente há a tendência dos salários subirem. Em 1907 numa tentativa de enfraquecer o movimento operário o governo aprovou uma lei que permitia expulsar do Brasil todo imigrante que participasse de greve. Apesar da opressão o movimento não perdeu força. Em 1917 uma greve que teve início no Cotonifício Crespi (esse prédio abriga hoje o supermercado extra no bairro da Mooca, onde foi preservada sua fachada) essa greve se espalhou por vários estados como Rio, Minas, Rio Grande do Sul, Paraíba e outros estados. Em São Paulo a polícia matou a tiros o operário Francisco Martinez na porta da fábrica de tecidos Francisco Matarazzo, essa atitude por parte do governo apenas serviu de fermento para os grevistas.

Os operários no começo do século XX trabalhavam de 14 a 16 horas diárias, com poucas possibilidades de descanso e lazer. Moravam em habitações precárias como os cortiços geralmente instalados na periferia, padecendo com transportes precários e infraestrutura, não havia luz elétrica, não recebiam água tratada e nem havia a coleta e afastamento dos esgotos e de lixo, as doenças se multiplicavam, eram acusados pelas classes mais abastadas de promover a disseminação de doenças tais como gripe, sarampo, rubéola, varíola, tuberculose e principalmente a peste negra. No caso de doença, invalidez ou desemprego o trabalhador ficava totalmente desamparado, e tinha sua sobrevivência ameaçada.

Em março de 1922 um grupo composto por líderes operários e intelectuais fundou o Partido Comunista do Brasil (PCB). Os comunistas ao contrário dos anarquistas e socialistas tinham uma organização centralizada e nacional, que defendia  um governo composto pelo proletariado e a coletivização das terras e fábricas. Os anarquistas se recusavam a participar do processo eleitoral, o PCB participava, pois julgava que esse era um meio legítimo de atuação para a transformação social. Pouco tempo depois o PCB foi colocado na ilegalidade por Epitácio Pessoa (1919-1922), mas o partido continuou agindo de forma clandestina, o jornal que defendia a classe patronal passou a rotular todas as greves como comandadas por Moscou capital da URSS.

As autoridades brasileiras viam nas greves um caso de polícia e não social invadiam associações operárias e prendiam seus lideres. O presidente Artur Bernardes em 1925 mudou de estratégia, tornando o dia 1º de maio feriado nacional, com isso pretendia que os trabalhadores deixassem de ver essa data como dia de resistência e luta e a transformasse em dia de festa. No Teatro Municipal de São Paulo entre 13 e 17 de fevereiro de 1922 houve a semana da Arte Moderna, esse evento causou profundas influências nos paulistas e restante do Brasil, estavam presentes compositores, pintores como Di Cavalcanti e Anita Malfatti e Tarsila do Amaral,  principalmente escritores como Mario de Andrade e Osvaldo de Andrade, o inventor Santos Dumont dentre outras figuras de renome nacional. Esse movimento cultural denominado de Modernismo pretendia buscar respostas para perguntas como: “Quem somos nós”? O que é ser brasileiro? Reelaborar as culturas vindas do exterior, mas principalmente valorizar a cultura brasileira. Nesse contexto Gilberto Freyre publicou “Casa Grande e Senzala” e o historiador Sergio Buarque de Holanda (pai do compositor Chico Buarque de Holanda) produziu em 1936 “Raízes do Brasil” um livro que conta toda trajetória e miscigenação da cultura do povo brasileiro, suas conquistas e derrotas.

Muitas cidades principalmente São Paulo crescia em ritmo acelerado, a industrialização e comércio prosperavam bastante, o crescimento da cidade de São Paulo e sua população, vindas de outros estados e do interior paulista se dirigiam para a periferia devido aos altos preços cobrados pelos imóveis nas áreas mais centralizadas. A formação profissional tornou-se uma necessidade, bem como a implantação de escolas, com a finalidade de preparar a classe trabalhadora para servir a classe dominante. Mas nesse processo os trabalhadores foram ganhando consciência de sua condição e passaram a se organizar em sindicatos, os sindicatos tinham por finalidade defender o interesse do trabalhador e promover lazer e trabalhos sociais.

Dentro desse panorama vamos desembocar no golpe militar de 64, o qual vinha de encontro aos interesses da classe dominante, mas principalmente contemplava os interesses de países capitalistas que tinham seus investimentos no Brasil, com o claro comportamento imperialista. Durante a vigência da ditadura militar, ocorreram várias ações armadas e pacíficas, promovidas por pessoas que discordavam da atuação dos militares e de como a política do país vinha sendo conduzida. Dentre esses vamos nos deparar com figuras como Carlos Marighela, Capitão Lamarca, passeatas até culminar com o movimento denominado “ Diretas Já” em 1984 esse movimento popular exigia que o presidente fosse um civil e eleito por meio de eleição direta, até então o residente era sempre um militar, indicado pelo “Colégio Eleitoral” composto apenas por militares. Tancredo Neves foi eleito em 15 de janeiro de 1985, mas não tomou posse por ter adoecido antes, em seu lugar foi empossado seu vice José Sarney. Nos dias que se seguiram foi armado um “circo” para enganar o povo brasileiro, fazendo com que o povo visse em José Sarney como o salvador da pátria, defensor dos fracos e oprimidos, mas não foi isso que ocorreu, pelo contrário, Sarney governou defendendo o interesse dos mais abastados. Sucedido por Fernando Collor de Mello (1990 a 1992), Itamar Franco (1992 a 1994), Fernando Henrique Cardoso (1994 a 2003) FHC foi um presidente muito culto que falava vários idiomas, menos a língua do povo. Luis Inácio Lula da Silva (2003 a 2010) Lula o primeiro trabalhador a ocupar esse cargo, foi eleito por uma ideologia, na qual o povo depositava todas as suas esperanças. O governo Lula foi muito controverso, salpicado por escândalos de corrupção, mas foi em seu governo que os brasileiros obtiveram muitas conquistas sociais. A aprovação de seu governo pela maioria da população permitiu que fosse do mesmo partido PT partido dos trabalhadores seu sucessor a presidente Dilma Rousseff empossada em 1 de janeiro de 1911.

 

Prof. Luiz Bortolo = História   = agosto de 2013 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 23h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis