PROFESSOR LUIZ


Caros alunos

após várias aulas expositivas  e ilustrativas  chegou o momento que anciosamente os alunos aguardavam

o momento da avaliação , para cada qual poder avaliar o que aprendeu

portanto dentro desse contexto teremos nosso provão, o qual foi elaborado pelo nobre prof. André Paulo

Nossa provinha para o dia 8/06 segunda feira que como sempre será muito fácil, permitindo consulta ao caderno, é óbvio que com essa prerrogativa a prova será dissertativa e não de multipla escolha com alternativas

isso implica que os alunos que fizeram as tarefas solicitadas terão em seus cadernos o suficiente para fazerem a  prova, no entanto os que por qualquer motivo deixaram de fazer

provavelmente sentirão maior dificuldade.

boa sorte a todos



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 18h17
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


REVOLUÇÃO RUSSA 21 A 41 PG. 89 -90 - 91

21= Qual era o principal objetivo do Czar russo ao lançar a Rússia na primeira guerra mundial

22= Quais eram as dificuldades russas para enfrentar o exército alemão.

23= Quais foram as conseqüências da guerra.

24= Os socialistas acreditavam que qual seria o resultado da força camponesa

25= O que ocorreu na Rússia em 1898.

26= O que significa bolcheviques e mencheviques, os bolcheviques era liderado por quem>

27= No que acreditava  os bolcheviques.

28= No que acreditavam os bolcheviques em 1912.

29= O que ocorreu em fevereiro de 1917 na Rússia.

30= O sovietes de qual cidade assumiu a liderança, eles eram controlados por qual facção.

 

31= O que era a Duma

32= Qual foi o acontecimento ocorrido que obrigou o Czar a renunciar.

33= A monarquia czarista foi substituída por qual regime, liderada por quem e de qual facção?

34= Por qual motivo o partido bolchevique fez oposição a Kerensky

35= Quem protestava e o que eles queriam?

36= O que ocorreu em novembro de 1917, eram liderados por quem

37=  Qual foi uma das mais importantes medidas tomadas por Lênin e Trotsky ainda em 1917

38= Em março de 1918 Rússia e Alemanha assinaram um tratado de paz, quais foram os países que a Rússia perdeu.

39= O que significa expropriar a burguesia e estatizar as empresas.

40= Quem o   exército vermelho comandado por Leon Trotsky combatia e  quem os apoiava

41= Quais foram os Fatores que conduziram a Rússia para o totalitarismo

 

 

30/4/2015

 

 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 22h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


REVOLUÇÃO RUSSA  DE  11 A 20   PAG. 88,89

11= No inicio do século. XX como predominava a produção Russa?

 

12= O que era recrutado nos centros urbanos?

 

13= O que se misturava nas cidades do interior?

 

14= Qual era a condição de trabalho dos operários?

 

15= A extrema exploração do proletariado provocou o que?

 

16= O que a política expansionista do Czar Nicolau II provocou e quando foi?

 

17= O que ocorreu em 1905 na Rússia?

 

18= O que foi o Domingo Sangrento?

 

19= O domingo sangrento foi considerado o que?

 

20= O que era os sovietes?

 

 

Prof. Luiz Bortlo

História

18/04/2015

 

 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 11h12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


REVOLUÇÃO RUSSA pg. 88, 89

1=  O que é o Czar e  a palavra é derivada de que?

R= Czar é a denominação do rei da Rússia, a palavra deriva de Cesar do Império Romano.

2= O que é igreja Ortodoxa.

R= É uma igreja que não reconhece a autoridade do Papa, é católica, é mais rígida e os padres podem casar.

3= Do Século XVII (1613) até 1917 como se chamava a família que governava a Rússia.

R= Chamava-se família Romanov, o último czar foi Nicolau II assassinado com sua família em junho de 1918.

4= Qual foi a reforma que o czar Alexandre II promoveu na Rússia a partir da metade do séc. XIX

R= Aboliu a servidão, distribuiu terras aos camponeses, fundou bancos, melhorou o ensino, reorganizou o exército.

5= Por que alguns camponeses emancipados se revoltaram, e o que é emancipado

R= Se revoltaram porque receberam pequenos lotes de terras, emancipado é passou a ser livre.

6= No início do séc. XX qual era a condição do camponês russo

R= tinham de conviver com baixo rendimento nas lavouras, doenças, fome, analfabetismo, falta de transporte, e infra estrutura.

7= Os camponeses que não tinham terras, trabalhavam onde?

8= Os alemães Karl Marx e Friedrick Engels escreveram a obra “O manifesto Comunista” considerada o que, e foi escrita em que ano?

R= é considerada fundadora do socialismo científico escrita em 1848

9= Qual era a concepção da teoria dessa obra?

R= Essa teoria previa que os acontecimentos políticos podem ser estudados e previstos

10= Na visão dos socialistas eles previam qual o fim do capitalismo e por quem?

R= Previam o fim do capitalismo pelo próprio capitalismo e a tomada do poder pela classe trabalhadora organizada em partidos políticos.

 

Prof. Luiz Bortolo

História

 

07/04/2015



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 10h40
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL

1= Como ficou conhecido o modo de combater na primeira guerra mundial?

R= Ficou conhecido como guerra de trincheiras

2= Descreva como era uma trincheira?

R= Eram uma rede de valas cavadas no solo, onde os soldados se protegiam dos tiros e bombardeios, La eles comiam, bebiam, dormiam e faziam suas necessidades, por isso se transformou em um buraco de morte.

3= O que é uma força estática.

R= é uma força militar que não se locomove, permanece onde estiver instalada, é como uma fortaleza

4= Qual foi a conseqüência de se lutar em trincheiras?

R= As trincheiras passaram de táticas temporárias para definitivas

5= Quais eram os países que formavam a frente ocidental da guerra.

R= França Bélgica Suíça e Inglaterra.

6= Qual foi a tática de guerra usada no mar.

R= foi o uso de submarinos ingleses e alemães para afundar os navios de suprimentos e matar a população e os soldados de fome de fome

7= Descreva o que é um submarino

R= É um barco de guerra capaz de navegar sob a água, ataca de surpresa e foge, é capaz de afundar qualquer navio usando uma bomba chamada torpedo, a qual atinge sempre o navio abaixo da linha d1água.

8= Quais eram os países que lutavam na frente oriental

R= Eram a Alemanha contra a Rússia

9= Qual era o plano dos italianos.

10= O que ocorreu na Rússia em 1917 e qual regime foi implantado

R= Foi a revolução russa liderada por Lênin que destituiu o czar e implantou o comunismo

11= Quais foram as pessoas de destaque na revolução Russa.

R= Lênin, Stalin e Trotsky

12= O que ocorreu em março de 1918 com os russos

R= Saíram da guerra e assinaram o tratado de paz com a Alemanha

13= Qual era o plano dos alemães.

R= Os alemães após assinara a paz cm a Rússia planejavam derrotar franceses e ingleses em pouco tempo.

14= O que os americanos forneciam para os países da Entente. 

R= Dinheiro, logística, armas e produtos manufaturados

15= Por que os norte americanos achavam mais interessante a vitória da Inglaterra.

R= Porque os norte americanos temiam o crescimento acelerado da industria da Alemanha

16= O que ocorreu em abril de 1917 e por que

R= Submarinos alemães atacaram navios americanos, foi quando o EUA entraram na guerra com um forte poderio militar.

17= Por que foi importante a entrada do EUA na guerra que terminou em novembro de 1918.

R= Com seu grande poderio militar quebrou o equilíbrio entre os dois blocos dando a vitória a Entente

18= Em janeiro de 1919 realizou-se a Conferência de Paris, qual era seu objetivo

R= Tinha o objetivo de negociar o acordo de paz entre os dois blocos que haviam lutado na 1ª guerra.

19= Quais os países que lideraram essa conferência

R= Grã Bretanha, França e EUA, a Alemanha não participou das discuções e foi muito prejudicada.

20= O que o presidente americano propunha e qual a finalidade dessa organização.

R= Ele propunha a criação da Liga das Nações era uma organização encarregada de zelar pela paz mundial, onde os conflitos seriam resolvidos de forma diplomática ao invés de guerras.

21= O que o presidente Wilson propunha que ocorresse com os perdedores da guerra.

R= Ele propunha que o páis perdedor da guerra não sofresse anexações e nem precisasse pagar indenização de guerra.

22= Qual foi a atitude dos franceses e ingleses para a proposta do EUA

R= A proposta do EUA foi recusada, a Alemanha perdeu boa parte de seu território e foi obrigada a pagar uma indenização de guerra muito elevada, alem de sofrer fortes sanções.

23= Quando foi assinado o Tratado de Versalhes e o que ele determinava.

R= Foi assinado em junho de 1919, a Alemanha teve de devolver a região de Alsácia e Lorena para a França, ceder seus territórios coloniais principalmente na África e pagar uma pesada indenização para os aliados.

24= Além de trabalhar na indústria bélica, como as mulheres participaram da guerra.

R= atuaram como motoristas, cozinheiras, escriturarias e enfermeiras.

25= O que ocorreu com os países europeus na parte econômica em relação ao EUA.

R= Eles ficaram sob uma dívida de 10 bilhões de dólares que naquela época representava muito mais dinheiro que agora, antes quem dominava era a Inglaterra.

26= Com a ida dos homens para o campo de batalha o que aconteceu com as mulheres.

R= A atuação das mulheres no esforço de guerra ajudou a fortalecer os movimentos pela emancipação da mulher, como ocorreu na Inglaterra dando a elas o direito de votar.

27= Como foi a formação dos governos na Europa.

R= Formaram governos autoritários fortemente militarizados e caracterizados por um nacionalismo extremo.

28= Quais os novos países que surgiram na Europa após a guerra.

R= Foram a Áustria, Hungria, Tchecoslováquia e Iugoslávia, do lado russo formaram Finlandia, Estônia, Letônia, Lituânia,  e Polônia.

 

 

 

    ( 23/03/2015)



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 20h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


ANTECEDENTES DA PRIMEIRA GUERRA  respostas pg 78

1= Quando e onde ocorreu a Belle Époque?

R= Ocorreu nas ultimas décadas do sé. XIX e primeira do séc. XX

2= Descreva o  que era a chamada Belle Époque?

R= foi a conquista de científicas e tecnológicas e a ampliação do comércio, com a certeza da prosperidade

3= Qual era a cultura européia  mais influente  no início do séc XX?

R= Era a cultura francesa

4= O que ocorria entre a Grã Bretanha e França?

R= Detinham grande poder político e econômico e dominavam enormes extensões de territórios coloniais.

5= O que os países europeus fizeram para aumentar seus recursos bélicos?

R= Produziram novas tecnologias voltadas para a guerra.

6= Qual foi a atitude que aumentou o sentimento de nacionalista e militarista na população européia?

R= Adotaram o serviço militar obrigatório

7= O que ocasionou a rivalidade entre Grã Bretanha e Alemanha?

R= a Grã Bretanha (Inglaterra) foi perdendo a supremacia econômica mundial para a indústria alemã.

8= Por que a França nutria sentimentos de revanchismo contra a Alemanha?

R= Por ter perdido o domínio sobre a Alsácia-Lorena rica em carvão e ferro para a Alemanha na guerra Franco-Prússia em 1870.

 

9= Quais eram os países que compunham a Tríplice Aliança e a Tríplice Entende?

R= A Tríplice Aliança eraq formada pelo Império Alemão, Austro Húngaro e Itália, a Tríplice Entende por Rússia França e Grã Bretanha.

10= Qual era a disputa entre Grã Bretanha, França e Alemanha?

R= Eles disputavam a hegemonia, isto é, disputavam pela influência e pelo  comércio mundial

11= Qual era o plano da Sérvia?

R= Queria construir a Grande Sérvia, reunindo Bósnia, Croácia e Eslovenos.

12= O que era o Pan-Eslavismo e o que ele pregava liderado por quem?

R= Pregava a união dos povos eslavos liderados pela Rússia.

13= Nessa época o que ocorria na França?

R= O nacionalismo se manifestava no desejo de vingar a derrota francesa na guerra Franco-Prússia.

14= Qual foi o motivo imediato que levou à primeira guerra mundial?

R= Foram as crises nacionalistas na Península Balcânica.

15= Quais eram os três impérios que se rivalizavam?

R= Eram o Turco Otomano, o Russo e o Austro-Húngaro.

16= O que aconteceu na Grécia em 1821 e com o apoio de qual nação?

R= Conseguiu se libertar do Império Austro-Húngaro com o auxílio da Rússia.

 

17= O que ocorreu em 1878 na região dos Bálcãs e quais os países envolvidos

R= Foi assinado o tratado de Berlim que estabelecia a independência da Sérvia, Montenegro e Romênia.

18= O que a Servia buscava em 1908 e por que?

R= A Sérvia buscava a união de todos os povos eslavos

19= O que ocorreu na Sérvia em 28 de junho de 1914?

R= Foi assassinado o Arquiduque Francisco Ferdinando filho do Imperador e herdeiro do trono do Império Austro Húngaro.

20= O que fez a Áustria em relação a Sérvia?

R= A Áustria enviou um ultimato à Sérvia com muitas exigências que não foram acatadas, a Áustria declarou guerra à Sérvia.

21= Qual foi a atitude da Alemanha?

R= A Alemanha ofereceu apoio para a Áustria

22= Qual foi a atitude da Turquia e da Bulgária?

R= Entraram na guerra em apoio a Alemanha e Áustria.

23= Quais foram os países que entraram para a Tríplice Entende?

R= Foram a Grécia, Portugal, Romênia, Japão e em 1915 a Itália aderiu a esse bloco rompendo com a Alemanha.

24= Qual foi a conseqüência do sistema de alianças?

R= Transformou um conflito regional em uma guerra global, fomentados pelo sentimento de nacionalismo.

 

Prof. Luiz = História   = 16/03/2015

 

 

 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 20h03
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


encare como um presente, esse texto sobre Palmares é o resumo de um livro de 182 paginas

copie e guarde para voce, mais tarde pode ser muito útil.

PALMARES ESCRAVIDÃO E LIBERDADE

FLAVIO GOMES

Através do elencado pelo autor podemos observar que em toda América onde houve escravidão, foi permeada por diversas formas de luta dentre as que mais se evidenciam são as fugas para os quilombos. O Brasil por liderar o tráfico na América do sul e sua extensão territorial é colocado em evidência devido ao grande numero de negros escravizados, cerca de 10 a 15 milhões, favorecendo assim a formação de inúmeros quilombos. Os quilombos não eram uma particularidade brasileira ou exclusiva da América do Sul, Caribe, Jamaica, São Domingos, Haiti na América Central, na América do norte os estados sulistas também enfrentaram o mesmo problema. No mundo todo onde houvesse escravos havia rebelião

O quilombo dos Palmares não estava concentrado em um único local, mas, em diversas regiões espalhadas entre Pernambuco e Alagoas na Serra da Barriga. Reuniam diversas comunidades independentes. A palavra quilombo é originária da língua Banto cujo significado é acampamento ou iniciação, que doravante será designada como mocambo como consta nos documentos originais. Só em 1687 a palavra quilombo é usada pelo Governador de S. Paulo Domingos Jorge Velho, encarregado de destruir o quilombo dos Palmares. Convém ressaltar que a fuga temporária ou definitiva não era a única forma de se opor a escravidão. Em sua rebeldia os escravos faziam corpo mole no trabalho, queimavam plantações, invadiam vilarejos e fazendas, em alguns casos matavam o fazendeiro e feitores.  Os mocambos provocavam apreensão das autoridades de toda América do sul. Os mocambos não representavam apenas sentimento de liberdade ou revolucionários, era antes de tudo uma luta de classes. Os africanos estavam habituados na sua sociedade ter o regime de escravidão imposta por suas lideranças, mas de uma forma muito diferente quando vendidos aos europeus.

A história de Palmares é muito imprecisa, recheada de lacunas, por ser descrita baseando-se nos relatos dos soldados e comandantes que por sua vez poderiam exagerar os fatos no intento de valorizar sua atuação, e a imprensa apenas compilou os registros,  não há a comprovação da contribuição escrava na historiografia de Palmares. Criado no alvorecer do séc. XVI perdurou até o final do séc. XVII provocavam apreensão das autoridades de toda América do sul. Os mocambos eram auxiliados por fazendeiros que obtinham lucro no comércio com eles e, com a aliança com índios, espanhóis e franceses cada qual por seus motivos.

De acordo com o historiador norte americano Michael Mullin os quilombolas não lutavam contra a escravidão, o que faziam era definir seus contornos e reproduzir a escravidão como em território africano, no qual sendo o escravo um prisioneiro de guerra, era respeitado como guerreiro e, tinha algumas regalias, muito diferente do mesmo homem quando vendido aos europeus que alem de sua liberdade perdia sua dignidade junto com todos os preceitos destinados a um ser humano. O quilombola não era apenas um homem livre na parte física, ele sofria uma transformação ao se sentir livre no seu interior, em que sua rebeldia se expressava na negação do sistema  que lhe era imposto pelo branco opressor.  Dentre os incontáveis mocambos existentes no Brasil, o de maior notoriedade pela sua extensão e quantidade de abrigados, foi o de Palmares liderado no auge por Zumbi. Pelo viés latifundiário o quilombo era apenas  uma demonstração de rebeldia coletiva, na qual negros fugidos se aliavam a marginais.

Apesar de nos mocambos os negros sentirem-se livres, havia uma hierarquia a ser obedecida, com regras e normas rígidas, onde latrocínio, assassinato, traição e estupro eram punidos sumariamente com a execução do infrator. Os mocambos viviam da agricultura, pesca e criação de gado. Nos embates contra os quilombolas os soldados evitavam matar os escravos, um escravo fugido pode ser recapturado, um morto não, motivo pelo qual nos confrontos  evitavam matar seu oponente, mas em muitos casos o escravo lutava até a morte para não ser recapturado.

Um breve relato de Flavio Gomes sobre a forma de se delinear Palmares na historiografia brasileira evidencia que nunca foi descrito revelando suas verdades como em outras revoltas, do ponto de vista euro centrista a historia de Palmares deveria não constar da nossa história, sua importância como movimento étnico sempre foi silenciada durante séculos, apenas no florescer do séc. XXI é que Palmares recebe uma atenção mais aprofundada. Na visão das autoridades da época Palmares deveria ser vista apenas como uma rebeldia escravista e, que deveria ser reprimida para servir de exemplo, desencorajando outras revoltas semelhantes. . Nas décadas de 20 e 30 cronistas como Rocha Pitta, Francisco Brito Freire e Domingos Loreto do Couto, escreveram muito a respeito, da mesma forma Palmares, Ganga-Zumba e Zumbi transformaram-se em tema de militância política e permearam os gritos de protesto, tanto dos negros como dos trabalhadores que se identificavam como escravos.

Com todos esses registros, se considerarmos em sua totalidade da historiografia brasileira as lutas dos povos afro-brasileiros foi pouco mencionada nos trabalhos acadêmicos e noticiários nos últimos 20 anos. Nesse sentido cabe um destaque para o escritor português Ernesto Ennes que em 1938 trazia em seu artigo compilado dezenas de artigos sobre Palmares. Em face desse processo de desmonte das lutas dos desfavorecidos, torna-se difícil trazer à luz da história muitos detalhes de vital importância para seu entendimento. O mesmo ocorreu com Canudos e particularmente com a Guerra do Contestado esse ultimo pouco divulgado nos meios acadêmicos, diante de tal situação o que nos chega são apenas os relatos uni lateral dos vencedores brancos. Mas temos de admitir que Palmares foi um caso único de luta pela liberdade e defesa dos seus valores. O quilombo na realidade não era um ato de rebeldia, mas sim um estado de conscientização coletiva, em defesa dos seus valores e cultura, impelidos por uma reflexão coletiva, adversa da reflexão enquanto como escravo. O quilombola não era apenas um homem livre na parte física, ele sofria uma transformação ao se sentir livre no seu interior, em que sua rebeldia se expressava na negação do sistema anterior que lhe era imposto pelo branco opressor.

Um habito curioso sobre Palmares, voltado para a formação familiar por haver poucas mulheres, e a mortalidade ser elevada, cada mulher podia ter de 4 a 6 maridos, todos morando em harmonia na mesma cabana, sendo a mulher que ditava as ordens a seus maridos, era ela quem recebia uma data de terra, mas a produção era socializada. A vida no mocambo não era fácil, os negros que eram seqüestrados das fazendas, ao adentrarem no mocambo eram tratados como escravo dos negros criolos, para conseguir sua alforria tinha de participar do aprisionamento de outros negros nas fazendas vizinhas. Alem das 



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 01h41
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


continuação

diversas dificuldades encontradas de quem vive embrenhado nas matas, sempre com o receio de ser capturado, quando ocorria de uma expedição punitiva alcançar um mocambo, a fuga era muito penosa, em que os danos durante a fuga era maior que os provocados pelas armas dos soldados, nem sempre mulheres e crianças conseguiam acompanhar os demais e eram largados para trás. . Quanto a forma política de administração não se pode afirmar com toda convicção, mas os chefes eram escolhidos por sua bravura, experiência em combate e sobretudo poder de liderança, todos sem distinção poderiam concorrer ao cargo de “rei” sem que essa disputa promovesse discórdia entre os participantes.

As  dificuldades impostas para combater Palmares eram infindáveis, os soldados tinham de enfrentar penosa caminhada por entre a mata fechada, terrenos íngremes de difícil acesso, desconheciam a região, ataques de feras, mosquitos e índios hostis, frio e fome.  Por não poderem receber auxilio precisavam transportar muito peso, armas, pólvora, munição, água, comida, rede, esse sobrepeso exauria as forças dos soldados,  a maioria morria mais pelo sofrimento que em combate. Outro viés de suma importância era a rede de comunicação, a qual conferia aos mocambos grande vantagem ao serem avisados de antemão a aproximação das expedições punitivas. Há suspeitas de que devido ao grande volume de escravos recém chegados os nativos dos mocambos se comunicavam com os africanos no continente pátrio, tanto que em Palmares ouviu-se falar da Rainha Nzinga de Angola

  Um fator que contribuiu para sucesso dos mocambos é que segundo alguns historiadores, alguns chefes tribais foram aprisionados como escravos e enviados para os canaviais brasileiros, esses chefes guerreiros ao se instalarem nos mocambos levavam a experiências de liderança e combate. Os mocambos especialmente o de Palmares tornaram-se tão eficientes na sua produção e formação militar capaz de rechaçar qualquer ataque por parte das forças expedicionárias punitivas enviadas pelo governo português, situação essa que se mostrou como melhor opção fazer acordo de não agressão  do que insistir em ser derrotado na maioria das batalhas, Palmares era uma organização capaz de ser afetada pelas expedições, mas não dizimada.

Entre Zumbi e Ganga-Zumba a disputa pelo poder por volta de 1675 o chefe de Palmares era Ganga-Zumba, provavelmente tio de Zumbi. Zumbi que na língua africana significa diabo era crioulo de Palmares, nascido em 1655, com a morte do tio Ganga-Zumba, ele assumiu o comando de Palmares na região de Pernambuco por volta de 1678 com 23 anos de idade. Quando criança foi capturado e levado para a vila de Porto Calvo, onde conheceu o padre Antonio de Melo com quem aprendeu ler e escrever o português e latim. Esses conhecimentos o favoreceram na liderança e na defesa de Palmares. O historiador baiano João José Reis foi um dedicado pesquisador sobre Palmares, em sua obra “ Resistência Quilombola” ele relata que Zumbi se comunicava com a coroa Portuguesa através de cartas, embora Zumbi fosse uma pessoa radical, houve uma tentativa de acordo.

Em 1680 forças coloniais comandadas por João Martins e Alexandre Cardoso infringem grande derrota aos Palmarista, quando uma grande quantidade de negros são aprisionados e enviados para Recife, minando as forças dos revoltosos. Em represália Zumbi ataca os povoados circunvizinhos. De 1683 a 1687 são realizados novos ataques, nos quais enfraqueceram Palmares. Nas senzalas os cativos acompanhavam os desfechos, tendo em mente que se Palmares fosse derrotado as trocas econômicas, a solidariedade e  os sonhos de liberdade sofreriam grandes prejuízos.

Para o governo, população, senhores de engenho e fazendeiros apesar das vitórias conquistadas Palmares não poderia continuar a dominar a região, a única solução encontrada foi recorrer aos paulistas. Após longos anos de preparação e negociação em agosto de 1692 os paulistas liderados pelo bandeirante Domingos Jorge Velho avançam contra Palmares. As negociações foram o maior entrave devido as exigências paulistas. Pernambuco deveria fornecer pólvora, balas, e provisões, 20% do valor arrecadado com os escravos presos e vendidos, mulheres e crianças aprisionadas pertenceriam aos combatentes paulistas, mas o que mais pesava era a concessão das terras dos vencidos para os paulistas. As outras exigências eram mais toleradas, no entanto a questão da terra representava o maior quinhão. Mesmo a contra gosto a coroa portuguesa e os demais sentiram a necessidade de ceder diante das exigências paulistas.

Nos primeiros confrontos a tropa de Domingos Jorge Velho com mais de 1000 homens era constituída por índios, negros e homens brancos, sofreram pesadas baixas. Tudo conspirava contra o bandeirante, mosquitos, doenças, relevo e mata fechada, fome, deserção. A tropa paulista estava habituada a combater os indígenas, mas desconheciam as táticas de guerra do homem negro.

Como foi a morte de Zumbi. Um mulato recebeu a oferta de que não seria punido e sua vida seria poupada em troca conduziu a tropa até o esconderijo do líder. Zumbi e mais uns 15 companheiros decidiram lutar até a morte. Sua cabeça foi exposta na praça dos vilarejos para por fim ao medo e terror que o negro havia espalhado na região. Em 1703 o líder Camoanga foi morto durante uma batalha.

 

As forças paulistas permaneceram na região até 1725. Apesar de todos esses contratempos os pernambucanos eram contra a permanência dos paulistas na região onde outrora fora Palmares. A igreja também enfrentava contendas com os paulistas por eles não aceitarem a se submeter ao clero instalado nas vilas. Com esse episódio cumpre-se aceitar a máxima que o rei recebia em Portugal a respeito dessa gente. Na corte um conselheiro disse ao monarca lusitano: “Majestade se vossa alteza precisar dos brasileiros para alguma contenda, conte com os paulistas, é uma gente tão destemida e valente, que não tem Deus e nem rei”.

 

Concluindo, o autor em sua obra deixa clara a grande contribuição dos quilombos nas revoltas empreendidas pelos escravos, mesmo não sendo a única forma de luta, os mocambos tinham peso decisivo, era nos mocambos que o escravo passava a ter o sentimento de liberdade que carreava para seu ego a consciência de recuperar a condição humana. Mocambo não era identificado como rebeldia da forma que  pretendiam os europeus, era antes de mais nada uma consciência coletiva que os impelia para uma luta de classes, o mesmo homem que ontem era escravo, sem identidade, sem raízes, sem cultura, ao quebrar das correntes se apoderava de todos esses sentimentos inerentes ao ser humano, agora ele escravo negro passava sim a ter identidade, raízes, reconhecer-se na sua luta em defesa dos seus direitos e particularmente empreender em uma árdua labuta em defesa de sua cultura, a qual só pode ser preservada com a existência dos quilombos.

 

 

Luiz Bortolo

 

14/03/2015



Escrito por PROFESSOR LUIZ às 01h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis